22 de Setembro: Dia Mundial Sem Carro

O Dia Mundial Sem Carro é uma iniciativa criada para, além de melhorar o trânsito nas cidades, conscientizar a população quanto ao uso excessivo do automóvel particular. A dependência se torna cada vez maior.

Prático, cômodo e eficiente – adjetivos que encantam os então, motoristas. Uma das justificativas para o aumento da quantidade de automóveis nas ruas é a falta de uma estrutura que suporte os demais meios de locomoção. Uma das propostas, que ainda enfrenta desafios para se consolidar como alternativa nos centros urbanos do Brasil é a bicicleta.

No Brasil são mais de 2,5 mil quilômetros de vias cicloviárias. A cidade de São Paulo, por exemplo, possui cerca de 468 km de ciclovias e ciclofaixas: Rede Cicloviário Centro; Ciclovia R. Silva Pinto; Ciclovia Perdizes e Santa Cecília/ Higienópolis; Ciclovia Pacaembu; Ciclovia na Avenida Antônio Estêvão de Carvalho; Ciclovia Luz/ Bom Retiro; Ciclovia Liberdade/ Vergueiro; e a Ciclovia da Avenida Paulista.

Ainda em crescimento, movimentos como o Dia Mundial Sem Carro são ações pontuais e importantes para celebrar e dar visibilidade à causa.


Artigos relacionados

Filme “EstereoEnsaios São Paulo”: um registro poético da metrópole em 3D

EstereoEnsaios São Paulo é um filme-ensaio que revive o espírito dos filmes “Sinfonia de Cidades” da era silenciosa, no contexto estereográfico digital do século XXI. O filme foi composto como sinfonia musical com o intuito de dialogar com o filme São Paulo,

Gasto em Infraestrutura cai quase pela metade

O Brasil teve seu pior desempenho em infraestrutura em uma década. De acordo com os últimos dados levantados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2016 o valor total das obras realizadas no país, naquele ano, somou R$99,2

As mulheres que venceram o Pritzker

No mês das mulheres, a revista Vogue discorre sobre a participação feminina na história do Prêmio Pritzker.     Por GIOVANNA MARADEI Embora sejam inegáveis os méritos de destacar um nome tão relevante quanto do arquiteto e professor Balkrishna Doshi,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta