Affonso Eduardo Reidy

Affonso Eduardo Reidy

Affonso Eduardo Reidy nasceu em Paris, em 1909, mas fez sua carreira no Rio de Janeiro, onde faleceu, em 1964. Antes mesmo de formar-se na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), em 1930, foi estagiário do urbanista francês Donat Alfred Agache (1875-1934), responsável pela elaboração do Plano Diretor da cidade. Reidy tornou-se professor logo após concluir o curso e em 1931, venceu, com Gerson Pompeu Pinheiro (1910-1978), o concurso para a construção do Albergue da Boa Vontade, seu primeiro projeto construído, e uma das obras pioneiras do modernismo no Rio de Janeiro.

Boa parte de sua produção foi na condição de arquiteto da Prefeitura do Distrito Federal. Foi chefe da Secretaria Geral de Viação, Trabalho e Obras e diretor do Departamento de Habitação Popular e do Departamento de Urbanismo até aposentar-se depois de três décadas dedicadas ao funcionalismo e a bons projetos.

Em 1936, integrou a equipe liderada por Lúcio Costa que realiza o projeto do Ministério da Educação e Saúde, mais conhecido como Palácio Gustavo Capanema. Também coordenou o projeto de urbanização do Centro do Rio de Janeiro, base para o desenvolvimento do Aterro e Parque do Flamengo, 1964. No campo da habitação social criou os projetos dos conjuntos Habitacional Pedregulho, 1946 que lhe valeu o primeiro prêmio na Bienal Internacional de São Paulo.
Mas seu projeto mais festejado é o do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ), 1953, a primeira obra em concreto aparente no país.


Artigos relacionados

Exposição permite que visitante “coma” Brasília

Uma Brasília mais “doce” poderá ser devorada neste sábado, a partir das 11 horas da manhã.

Sede da Fundação Norman Foster é inaugurada em Madri

A inauguração, que aconteceu no dia 1 de junho, foi marcada pelo Fórum Future is Now e contou com participantes de destaque no mundo da arquitetura e urbanismo, como Alejandro Aravena, ganhador do Prêmio Pritzker em 2016. A sede foi

Porta para a gente “diferenciada” por Plínio Bortolotti

EM EDIFÍCIO DE NOVA YORK RICOS E DESPOSSUÍDOS viverão juntos, porém separados; prédio de luxo terá um “portão dos pobres”.

Um comentário

Escreva um comentário
  1. Walter Gustavo Linzmayer
    Walter Gustavo Linzmayer 14 setembro, 2014, 02:39

    Mestre da arquitetura e urbanismo brasileiros!

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: