Alvaro Puntoni: é preciso abrir mão de privilégios

Alvaro Puntoni: é preciso abrir mão de privilégios

Em entrevista ao Arquitetura para Todos, do CAU/BR, Alvaro Puntoni diz que  a sociedade distribui medo para vender segurança. Em um bate-papo com Paulo Markun, o arquiteto defende que para se ter avanço é preciso abrir mão de privilégios.

Arquiteto pela FAU-USP, Puntoni nasceu em São Paulo, em 1965. Leciona na mesma instituição onde se formou, na Escola da Cidade e na FAU-Mackenzie, além de sócio do escritório GrupoSP. Projetou a nova sede do SEBRAE em Brasília e o Anexo do Museu do Ouro em Sabará, Minas Gerais. Confira:

 

 

Temas:
00:00 Preconceito e privilégio na sociedade brasileira
02:12 A idéia do coletivo e a comunicação global
04:04 A questão da segurança no Brasil
05:58 São Paulo: uma cidade política
08:59 O papel atual dos arquitetos na sociedade


Artigos relacionados

Rosa Kliass comenta sua obra

A paisagista Rosa Kliass, de 82 anos, descreveu a Paulo Markun várias obras de sua carreira. A história, a arquitetura e curiosidades dos projetos você confere nessa entrevista para o portal Arquitetura para Todos, do CAU/BR. Rosa Kliass nasceu em

Alvaro Puntoni: arquitetura não devia ser exceção

Álvaro Puntoni manifesta preocupação com o hábito da sociedade de tratar a arquitetura como um tema distante, exceção, ou mesmo algo separado da cultura.

Índio da Costa: quando entra má arquitetura o projeto encarece

Para o arquiteto Índio da Costa, houve nos anos 50 um terreno fértil para a arquitetura no sentido de que o tempo técnico para o planejamento do projeto era respeitado. Hoje em dia isso não acontece.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta