Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

O Mercado Central é o espaço público tradicional mais rico e plural de Belo Horizonte. Além do seu valor cultural e afetivo para a população da cidade, há duas razões para seu sucesso: qualidade dos produtos e segurança. O mercado abriu em 1929, mas em 1964 a prefeitura não pode mais mantê-lo. Os comerciantes se organizaram em uma cooperativa e compraram o mercado. Ao contrário de outros mercados brasileiros, o de Belo Horizonte manteve sua função de abastecimento.

Como ele conseguiu equilibrar a preservação de sua tradição e ao mesmo tempo sobreviver à concorrência imposta pelo tempo? Descubra neste episódio da série Arquiteturas, do SescTV.



Artigos relacionados

I Conferência Municipal de Mobilidade Sustentável é realizada em Palmas

Nesta semana será realizada, em Palmas, a I Conferência Municipal de Mobilidade Sustentável, um espaço de debate sobre importantes eixos ligados ao tema. O objetivo da Conferência é produzir um balanço entre o panorama atual da mobilidade no Brasil e

Burle Marx

Roberto Burle Marx, um expoente do paisagismo no Brasil, estudou pintura em Berlim, na Alemanha, no final dos anos 1920. Ele introduz o uso de plantas nativas para composição dos jardins e cria os primeiros projetos de terraços com uma aura especificamente brasileira.

Arquiteturas: Parque Sitiê

um lixão que virou parque.

Um comentário

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta