Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

O Mercado Central é o espaço público tradicional mais rico e plural de Belo Horizonte. Além do seu valor cultural e afetivo para a população da cidade, há duas razões para seu sucesso: qualidade dos produtos e segurança. O mercado abriu em 1929, mas em 1964 a prefeitura não pode mais mantê-lo. Os comerciantes se organizaram em uma cooperativa e compraram o mercado. Ao contrário de outros mercados brasileiros, o de Belo Horizonte manteve sua função de abastecimento.

Como ele conseguiu equilibrar a preservação de sua tradição e ao mesmo tempo sobreviver à concorrência imposta pelo tempo? Descubra neste episódio da série Arquiteturas, do SescTV.



Artigos relacionados

Moradias Infantis: arquitetos brasileiros ganham o Prêmio Internacional RIBA

O escritório brasileiro Aleph Zero, dos arquitetos e urbanistas curitibanos Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes, venceu o Prêmio Internacional RIBA (Royal Institute of British Architects)  2018 pelo projeto Moradias Infantis, em Formoso do Araguaia (TO), elaborado em parceria com o

Oscar Niemeyer no Roda Viva

Niemeyer ficou mundialmente conhecido pela ousadia inovadora de sua arquitetura cheia de curvas. Os prédios que abrigam o Governo Federal brasileiro são apenas alguns exemplos de sua vasta produção.

Athos Bulcão: arte e arquitetura

O artista é conhecido por criar o imaginário visual de Brasília   Athos nasceu no Catete, Rio de Janeiro, em 2 de julho de 1918 e passou sua infância em Teresópolis. Foi amigo de alguns dos mais importantes artistas brasileiros

Um comentário

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta