Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

O Mercado Central é o espaço público tradicional mais rico e plural de Belo Horizonte. Além do seu valor cultural e afetivo para a população da cidade, há duas razões para seu sucesso: qualidade dos produtos e segurança. O mercado abriu em 1929, mas em 1964 a prefeitura não pode mais mantê-lo. Os comerciantes se organizaram em uma cooperativa e compraram o mercado. Ao contrário de outros mercados brasileiros, o de Belo Horizonte manteve sua função de abastecimento.

Como ele conseguiu equilibrar a preservação de sua tradição e ao mesmo tempo sobreviver à concorrência imposta pelo tempo? Descubra neste episódio da série Arquiteturas, do SescTV.



Artigos relacionados

Stephen Breyer assume presidência do júri do Prêmio Pritzker

O juiz do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, Stephen Breyer, foi nomeado presidente do júri do Prêmio Pritzker pela Fundação Hyatt. Sendo jurado do prêmio desde 2011, Breyer assumirá o cargo do atual presidente Glenn Murcutt. Tom Pritzker, CEO da

Brasília completa 30 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade

Patrimônio Cultural da Humanidade há trinta anos, há quem diga que Brasília seja um tesouro urbanístico desde a concepção, quando ainda era um apenas um projeto de capital idealizado por Lucio Costa. Nesta semana, a cidade comemorou o título que

Arquiteturas: Itá

Já imaginou viver em uma cidade com prazo de validade? Por muitos anos esse foi o cotidiano dos moradores de Itá, no interior de Santa Catarina, após o anúncio da construção de uma usina hidrelétrica em suas imediações. Para os

Um comentário

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta