Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

O Mercado Central é o espaço público tradicional mais rico e plural de Belo Horizonte. Além do seu valor cultural e afetivo para a população da cidade, há duas razões para seu sucesso: qualidade dos produtos e segurança. O mercado abriu em 1929, mas em 1964 a prefeitura não pode mais mantê-lo. Os comerciantes se organizaram em uma cooperativa e compraram o mercado. Ao contrário de outros mercados brasileiros, o de Belo Horizonte manteve sua função de abastecimento.

Como ele conseguiu equilibrar a preservação de sua tradição e ao mesmo tempo sobreviver à concorrência imposta pelo tempo? Descubra neste episódio da série Arquiteturas, do SescTV.



Artigos relacionados

Proposta para aumentar altura dos prédios em São Paulo será levada à Câmara

A gestão de João Doria (PSDB), atual prefeito de Sao Paulo, quer permitir o aumento da altura máxima de prédios em ruas tranquilas da capital – vias sem acesso direto a transporte público. Atualmente, o limite é de 28 metros,

Petição online quer isentar IPTU para imóveis tombados em SP

Como pagar 27 mil reais de IPTU e investir em preservação do patrimônio arquitetônico enquanto incorporadores oferecem fortunas?

Porta para a gente “diferenciada” por Plínio Bortolotti

EM EDIFÍCIO DE NOVA YORK RICOS E DESPOSSUÍDOS viverão juntos, porém separados; prédio de luxo terá um “portão dos pobres”.

Um comentário

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta