As dez obras que fazem do Rio de Janeiro a Capital da Arquitetura

A revista norte-americana de arquitetura e design “Architectural Digest” publicou uma matéria em que indica as dez construções que atribuem ao Rio de Janeiro o título de primeira Capital Mundial da Arquitetura, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), coincidindo com a realização na cidade do 27º. Congresso Mundial de Arquitetos em 2020, promovido pela União Internacional dos Arquitetos (UIA).

Segundo a revista, o título, criado em novembro de 2018, “é uma colaboração que procura iniciar um discurso e identificar soluções sobre os vários desafios que as cidades enfrentam, através das lentes da cultura e da arquitetura, no contexto das cidades que servem como centros de ideias, comércio e desenvolvimento. ”

Ao indicar as edificações de maior destaque do Rio de Janeiro, a “Architectural Digest” apresentou um breve relato sobre cada uma dessas obras, com o nome do arquiteto responsável, a localização da construção e aspectos técnicos e culturais do projeto.

As obras indicadas pela revista foram:

 

Cidade das Artes, projeto de Christian de Portzamparc;

Cidades das Artes, localizada na Barra da Tijuca. Foto: Divulgação.

 

RB12, projeto ecológico do escritório Triptyque;

RB12, prédio comercial na Avenida Rio Branco. Foto: Divulgação.

 

Catedral de São Sebastião, projeto de Edgar Fonseca;

Catedral de São Sebastião, inspirada nas pirâmides maias. Foto: Divulgação.

 

Palácio Gustavo Capanema, projeto de Lucio Costa e equipe, que incluía Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, Carlos Leao, Jorge Moreira, e Ernani Vasconcellos;

Palácio Gustavo Capanema, um dos primeiros prédio públicos modernistas do Brasil. Foto: Divulgação.

 

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, projeto de Affonso Eduardo Reidy;

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, localizado no Parque do Flamengo. Foto: Divulgação.

 

Museu do Amanhã, projeto de Santiago Calatrava;

Museu do Amanhã, localizado no Pier de Mauá. Foto: Divulgação.

 

Museu de Arte Contemporânea de Niterói, projeto de Oscar Niemeyer;

Museu de Arte Contemporânea de Niterói, situado em cima da Baía de Guanabara. Foto: Divulgação.

 

Mosteiro de São Bento, baseado no projeto do engenheiro-militar português Francisco de Frias da Mesquita;

Mosteiro de São Bento, localizado na Rua Dom Gerardo, no Centro. Foto: Divulgação.

 

Igreja Nossa Senhora da Penha, projeto do engenheiro-arquiteto português Luiz de Moraes Júnior;

Igreja Nossa Senhora da Penha, situada no topo do Morro do Cariri. Foto: Divulgação.

 

 

Museu de Arte do Rio, projeto do escritório Bernardes + Jacobsen.

Museu de Arte do Rio. Foto: Divulgação.

 

 

A matéria completa você confere aqui

Fonte: CAU/BR

 



Artigos relacionados

Chamas na USP por José Armênio de Brito Cruz

O incêndio na FAU não é só fruto do descaso. A tentativa de destruição de um pensamento comprometido com o progresso aflora mais uma vez.

IAB quer criar fundo permanente de manutenção

Em resposta ao incêndio que destruiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro, o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) divulgou nota oficial sugerindo a criação de um fundo permanente que garanta a manutenção dos museus nacionais e a preservação

MOSTRA LE CORBUSIER

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, inaugura no dia 16 de junho, sábado, às 14h00, a exposição ‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’. Com curadoria de Pierre Colnet e

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta