Aterro do Flamengo

Aterro do Flamengo

O chamado Aterro do Flamengo, que ocupa a orla da baía de Guanabara – entre o Aeroporto Santos Dumont e a enseada de Botafogo datam da década de 1950 (o parque foi projetado entre 1954 a 1959), mas suas obras só começaram em 1961, no governo de Carlos Lacerda.

O aterro propriamente dito foi resultado do desmonte do morro de Santo Antônio, cujas obras começaram entre 1952 e 1954, na administração do prefeito Dulcídio Cardoso, e foram concluídas em 1958, na administração de Francisco Negrão de Lima.

Os projetos urbanístico e arquitetônico que definiram a ocupação desse aterro foram feitos por Affonso Eduardo Reidy (1909-1964), então funcionário do Departamento de Urbanismo da Prefeitura do Rio de Janeiro, enquanto Burle Marx definiu o paisagismo. Os dois projetos tiveram em Lotta Macedo Soares (1910-1967) a principal apoiadora.

O parque do Flamengo tem 7 quilômetros de extensão e 1.301.306 metros quadrados e inclui os jardins do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) (1954) e do Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial (1956).
Além de integrar o centro à zona sul com suas vias expressas, a área ajardinada tornou-se um requisitado espaço de lazer com sua praia artificial de 1.500 metros de extensão, uma pista de aeromodelismo, quadras esportivas, campos de futebol, playgrounds e tanque para nautimodelismo.


Artigos relacionados

Arquiteturas: Paranapiacaba

os trens têm muitas histórias para contar.

Arquiteturas: Galeria do Rock

a galeria mais eclética de São Paulo virou reduto de estilos de vida.

Oscar Niemeyer no Roda Viva

Niemeyer ficou mundialmente conhecido pela ousadia inovadora de sua arquitetura cheia de curvas. Os prédios que abrigam o Governo Federal brasileiro são apenas alguns exemplos de sua vasta produção.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Seu e-mail nâo será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados*