Brasil tem três projetos finalistas no WAF Awards 2016

Brasil tem três projetos finalistas no WAF Awards 2016

Criado em 2008, em Barcelona, na Espanha, o World Architecture Festival (WAF) promove anualmente um festival e uma premiação ligada à indústria da arquitetura. Esse ano, o projeto, que agora é sediado na cidade Singapura, contará com 343 projetos finalistas e o Brasil está no meio dessa lista.

Disputando prémios com outros 58 países, o Brasil será representado por três projetos realizados por dois escritórios paulistanos: Spadoni AA e o Studio MK27.

O primeiro escritório está concorrendo a categoria Display, em projetos concluídos, com o Pavilhão Hyundai Aeroporto, edificado na capital paulista. Já o segundo encabeçou dois projetos indicados: a Casa na Mata, localizada no Guarujá, litoral paulista e a Vila Catuçaba, construída no interior de São Paulo.

arq_82382(Vila Catuçaba – Studio MK27)

airport_pavilion_by_spadoni_aa

(Pavilhão Hyundai Aeroporto – Spadoni AA)

Além do Brasil, que se comparados a outro países está em desvantagem numérica de projetos, a lista é composta por diversas obras realizadas por arquitetos do Reino Unido, Austrália e escritórios de profissionais renomados como o da arquiteta Zaha Hadid.

Os resultados serão anunciados durante o festival, que está marcado para acontecer entre o dia 16 e 18 de novembro na capital alemã Berlim.

Para ver outros finalistas é só acessar o site do WAF.



Artigos relacionados

Sydnei Menezes: sustentabilidade acima de tudo

Para o arquiteto Sydnei Menezes, presidente do CAU/RJ, a sustentabilidade se expressa nos princípios básicos da iluminação, ventilação e insolação. Menezes aponta como exemplo de boa arquitetura o Palácio Gustavo Capanema, antiga sede do MEC no Rio de Janeiro. Relacionado

Rosa Artigas: Entre a preservação do patrimônio urbano e o IPTU da cidade de São Paulo

Artigo da historiadora Rosa Artigas sobre a difícil situação de preservar as obras do pai e pagar altos impostos à Prefeitura.

Mário Yoshinaga: bom projeto tem que dialogar

Arquiteto e professor da Universidade de Guarulhos, Mário Yoshinaga diz que um bom projeto de arquitetura tem que, antes de mais nada, ser capaz de dialogar com o ambiente, os materiais, os usuários e a cidade. E cita um exemplo:

Um comentário

Escreva um comentário
  1. Carlos R. Dapper
    Carlos R. Dapper 25 agosto, 2016, 20:26

    Este projeto de casa na mata é muito lindo.

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta para Carlos R. Dapper Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: