Comissão de Exercício Profissional revisa normas que tratam da prática profissional

Comissão de Exercício Profissional revisa normas que tratam da prática profissional

A Comissão de Exercício Profissional (CEP) do CAU/BR fará uma revisão nas quatro principais normas que regulamentam o exercício profissional de arquitetos e urbanistas em todo o Brasil. São as Resoluções CAU/BR Nº 10 (Engenharia de Segurança do Trabalho), Nº 18 (Registro de Profissionais no CAU); Nº 22 (Fiscalização da Arquitetura e Urbanismo); e Nº 28 (Registro de Empresas no CAU). “Essas quatro resoluções definem o dia-a-dia dos arquitetos e urbanistas”, afirma a coordenadora Lan Jubé (GO). “O objetivo é aprovar novas resoluções sobre esses assuntos até o fim de 2018”.

O trabalho já começou: está em consulta pública, aberta a toda a sociedade, a proposta para a nova resolução sobre Engenharia de Segurança do Trabalho. Arquitetos e urbanistas podem enviar suas sugestões e comentários até o dia 10 de abril. “Queremos garantir que o arquiteto possa executar essa especialização de forma plena”, afirma Lana. Clique aqui para participar.

Na reunião da Comissão de Exercício Profissional, realizada na semana passada em Brasília, os conselheiros analisaram sete processos de fiscalização, em grau de recurso. Cinco deles devem ser julgados já na próxima Reunião Plenária Ordinária do CAU/BR, a se realizar nos dias 22 e 23 de março. Mais três processos foram distribuídos para relatoria.

Outra meta é a produção de um modelo de relatório para que os CAU/UF realizem auditoria nos RRT emitidos, por amostragem. Essa auditoria permitiria aos CAU/UF detectar eventuais fraudes na emissão e na baixa do documento.

 

Via CAU/BR



Artigos relacionados

Hobin Hood Gardens começa a ser demolido

O projeto habitacional Robin Hood Gardens, localizado no leste de Londres, começou a ser demolido no final do mês de agosto. A obra, dos arquitetos Alison e Peter Smithson, concluída em 1972, era um marco da arquitetura brutalista do Reino

Livro Lina Bo Bardi é lançado em São Paulo

O livro traz um panorama da obra e do pensamento de Lina através de textos, desenhos e fotografias. “A obra de Lina é referência obrigatória para aqueles que veem na arquitetura a possibilidade de lutar por um mundo mais justo

André Corrêa do Lago é o primeiro brasileiro a integrar o júri do Pritzker

Esta é a primeira vez que um brasileiro é convidado a fazer parte da equipe de júri do Pritzker, considerado o Nobel da Arquitetura. A decisão foi anunciada no sábado, 20 de maio, durante a entrega do prêmio aos integrantes

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta