Conjunto Nacional

Conjunto Nacional

O  arquiteto David Libeskind, recentemente falecido, explicou o projeto do Conjunto Nacional, até hoje um exemplo de boa arquitetura.

“Para a realização do Conjunto Nacional, José Tjurs contratou alguns arquitetos para apresentar ideias sobre o projeto e eu também fui chamado. Lembro que ele me recebeu em seu escritório, no Anexo do Hotel Excelsior, na Avenida Ipiranga, e logo começou a me chamar de ‘menino’ por causa da minha idade. 

Ele explicou que pretendia construir um hotel e um centro comercial para exposições de indústrias em um grande terreno na Avenida Paulista e me pediu para apresentar um estudo em uma semana.

Na época, em 1955, a Avenida Paulista era inteiramente residencial e a Rua Augusta já era o centro comercial onde estavam as lojas chiques, pois ainda não existiam shoppings centers. Assim, sugeri uma construção que cominasse uma lâmina vertical, para apartamentos, e um jardim suspenso com uma grande área comercial embaixo, que seria um prolongamento da Rua Augusta. José Tjurs, assessorado por profissionais do setor, aprovou a minha ideia.

O projeto era característico da arquitetura brasileira daquela época, com ênfase no terraço-jardim e nos pilotis. A composição arquitetônica era basicamente formada por duas lâminas: uma horizontal, para uso comercial, que ocupava toda a área do terreno, e outra, vertical, de apartamentos. Separando as duas lâminas, havia os pilotis que se apoiavam sobre o terraço-jardim que serve de cobertura de toda a área comercial. Além dos pilotis, nesse terraço foram projetados um salão de festas e uma cúpula geodésica para abrigar o conjunto de rampas e elevadores do hallcentral”.



Artigos relacionados

Modernismo na Arquitetura

Na metade do século XX, a arquitetura brasileira foi descoberta por críticos e jornalistas de vários países. A grande surpresa era o surgimento de edificações que pareciam desfrutar de maior  liberdade formal, leveza e uso de materiais e de curvas,

O conjunto da Pampulha

A encomenda foi do então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek de Oliveira, ao jovem arquiteto Oscar Niemeyer: construir cinco edifícios em torno do largo artificial da Pampulha – um cassino, um clube de elite, um salão de danças popular,

Praça dos Três Poderes

A Praça dos Três Poderes foi projetada por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa. Lá estão o Palácio do Itamaraty, o Palácio do Planalto, o Palácio da Justiça, o Supremo Tribunal Federal, o Congresso Nacional, o Panteão da Liberdade e Democracia

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Seu e-mail nâo será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados*