Edifícios icônicos ganham vida na mão de ilustrador

Edifícios icônicos ganham vida na mão de ilustrador

Quão louco seria ver alguns dos edifícios mais conhecidos do mundo ganhando vida e andando por ai? Pois para o ilustrador Michael William Lester isso não soou nem um pouco estranho.

Nascido em uma pequena cidade do leste da Inglaterra, o designer decidiu olhar para a arquitetura com outros olhos e fez suas convicções sobre a profissão se tornarem ainda mais reais na série “Character Building”.

“A boa arquitetura interage com o seu entorno. Isso desprende energia e gera tanta vida que o edifício vive e respira”, afirma Lester, em uma breve explicação sobre a proposta, que de forma divertida – com GIF’S – coloca as obras em uma outra perspectiva.

E entre tantas obras famosas, uma brasileira não escapou aos olhos do ilustrador!

“O aeroporto de Brasília foi atualizado com um braço a mais para a Copa do Mundo de 2014”, descreve Michael na animação do Aeroporto Internacional de Brasilia Juscelino Kubistchek (o primeiro da quinta coluna da esquerda para direita).

Para descobrir o nome dos outros edifícios ou suas descrição é só acessar o site do artista.

EDIFÍCIOS ICÔNICOS


Tags:
Brasília

Artigos relacionados

Jacobsen Arquitetura e suas parcerias

Nasceu em 1954 no Rio de Janeiro, graduando-se em 1975, pela Universidade Bennett. Estagiou com o arquiteto Índio da Costa durante dois anos e posteriormente com o urbanista e paisagista Fernando Chacel. Em 1975, viajou para Londres por um período

Arquitetura latina de volta ao MoMA, em Nova Iorque

Exposição relembra mostra anterior, em 1955, e traça panorama da influência da escola nas atuais cidades latinas.

Favela: Cláudio Batista

Cláudio Batista mora na favela desde a década de 50. Sua monografia na faculdade foi sobre a tradição dos mutirões em Chapéu Mangueira. Ele acompanhou todo o crescimento da comunidade, e sua casa hoje está dividida em 4, entre ele,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta