Gasto em Infraestrutura cai quase pela metade

Gasto em Infraestrutura cai quase pela metade

O Brasil teve seu pior desempenho em infraestrutura em uma década. De acordo com os últimos dados levantados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2016 o valor total das obras realizadas no país, naquele ano, somou R$99,2 bilhões. Esse preço corresponde ao quanto as empresas privadas e públicas do setor da construção tiveram de receita pela realização de projetos de infraestrutura, o que inclui rodovias, ferrovias, redes de telecomunicação, saneamento e outros. Houve queda de 22,1% em relação a 2015.

Na última década, os gastos com tais investimentos atingiram seu pico em 2012, quando as obras realizadas no país somaram R$180,5 bilhões – o dobro da receita alcançada na última medição. Desde então, esse valor vem caindo ano a ano: R$174,5 bilhões em 2013,  R$170,4 bilhões em 2014, R$ 127,3 bilhões em 2015; até atingir a casa dos dois dígitos em 2016.

A redução nos financiamentos está entre as principais razões para a queda no setor de infraestrutura. Segundo o técnico de pesquisas do IBGE “Dentre todas as atividades de construção, que incluem ainda incorporação e edifícios, a de infraestrutura foi a que mais sofreu, porque houve quedas muito grandes no financiamento”, afirmou.

No total, a indústria da construção movimentou R$318,7 bilhões em 2016, uma queda de 14,8% em relação ao ano anterior. Além disso, postos de trabalho e salários também pioraram. Os salários, corrigidos pela inflação, caíram 5,2%. Já o número de empregos para o setor diminuiu em cerca de 17%.

 

Fonte: UOL

Foto: EBC

 



Artigos relacionados

Prêmio Lúcio Costa 2018

A cerimônia de entrega do Prêmio Lúcio Costa 2018, realizada pela Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), acontecerá no dia 11 de dezembro às 16h no Auditório Nereu Ramos, da Câmara dos Deputados. A premiação, que chega à sua 4ª edição,

Lina Bo Bardi e Tarsila do Amaral no MASP em 2019

O tema “Histórias das mulheres, histórias feministas” será pauta do programa de exposições do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand em 2019. Já estão confirmadas seis monográficas de artistas mulheres – Djanira da Motta e Silva, Tarsila do

Rio Carioca: primeiro curso d’água urbano do país a virar patrimônio cultural

A água que percorre os bairros de Cosme Velho, Laranjeiras, Catete, e desemboca na Praia do Flamengo é, desde o dia 27 de dezembro de 2018, considerada patrimônio cultural e natural. O rio Carioca é o primeiro curso d’água urbano

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta