Índio da Costa: as dificuldades da legislação induzem à mediocridade

Índio da Costa: as dificuldades da legislação induzem à mediocridade

 

Índio da Costa dá um exemplo de sua experiência sobre como um arquiteto pode aprender com seu cliente. Em caso de casas residenciais, o arquiteto funciona como um moderador de expectativas e buscador de soluções para essas ambições. Índio passou a observar mais essa subjetividade quando um amigo lhe disse que a casa que ele projetou nada tinha a ver com as casas que desenhava quando criança.

Para ele a verticalização é um processo inevitável devido à rede de economia nas cidades. Entretanto há fatores, um deles a legislação, imputa ao arquiteto uma mediocridade difícil de quebrar no projeto, levando a verticalizações não orgânicas.

O arquiteto Índio da Costa foi entrevistado por Paulo Markun para o Portal Arquitetura e Urbanismo para Todos, do CAU/BR.



Artigos relacionados

Raul Juste Lores fala sobre a arquitetura de São Paulo

Em entrevista à revista Casa e Jardim, o autor do livro recém-lançado São Paulo nas alturas, Raul Juste Lores revê o período batizado como “milagre arquitetônico” a partir dos prédios e dos personagens que desenharam a paisagem urbana da cidade

Em São Paulo, parques naturais municipais estão abandonados desde maio

Não há quem vigie os parques naturais municipais de São Paulo desde maio deste ano. A empresa responsável, a Atlântico Sul Vigilância e Segurança EIRELI, abriu falência em abril. Em maio seus funcionários abandonaram os postos na capital e desde então as unidades de conservação da cidade estão sem vigilância.

Produção arquitetônica nas grandes cidades, por Marco Antonio Borsoi

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=8Cqv1NUdGqE&w=832&h=h468] Para o portal Arquitetura e Urbanismo Para Todos do CAU/BR, Paulo Markun entrevistou o arquiteto Marco Antonio Borsoi, ex-presidente do IAB – PE. Carioca de nascimento, Borsoi atua em Pernambuco e vive em Recife. Temas: 00:00 O que é arquitetura? 01:09

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta