Índio da Costa: quando entra má arquitetura o projeto encarece

Índio da Costa: quando entra má arquitetura o projeto encarece

 

Para o arquiteto Índio da Costa, houve nos anos 50 um terreno fértil para a arquitetura no sentido de que o tempo técnico para o planejamento do projeto era respeitado. Hoje em dia isso não acontece em 90% dos projetos que ele recebe em seu escritório, que chegam com um briefing muito raso.

A boa arquitetura, para ele, está representada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e no MIS, em São Paulo, em que o próprio Índio trabalha em um projeto.

O arquiteto Índio da Costa foi entrevistado por Paulo Markun para o Portal Arquitetura e Urbanismo para Todos, do CAU/BR.

 

 



Artigos relacionados

Alvaro Puntoni: arquitetura não devia ser exceção

Álvaro Puntoni manifesta preocupação com o hábito da sociedade de tratar a arquitetura como um tema distante, exceção, ou mesmo algo separado da cultura.

Índio da Costa e os ursos himalaicos

Índio da Costa, arquiteto, conta como ganhou um prêmio pelo seu projeto da jaula de ursos himalaicos do zoológico do Rio de Janeiro, em 1965

Raul Juste Lores fala sobre a arquitetura de São Paulo

Em entrevista à revista Casa e Jardim, o autor do livro recém-lançado São Paulo nas alturas, Raul Juste Lores revê o período batizado como “milagre arquitetônico” a partir dos prédios e dos personagens que desenharam a paisagem urbana da cidade

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta