Iphan autoriza construção de Silvio Santos nos arredores do Teatro Oficina

Iphan autoriza construção de Silvio Santos nos arredores do Teatro Oficina

O Teatro Oficina, projetado por Lina Bo Bardi e Edson Elito, corre o risco de ter seu entorno alterado devido a aprovação da construção de duas torres residenciais de cem metros de altura, que serão instaladas no terreno ao lado da companhia de Zé Celso Martinez Corrêa. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) autorizou, durante reunião que ocorreu na sexta-feira, (29), a construção do empreendimento liderado pelo Grupo Silvio Santos.  

O teatro, tombado em nível estadual e federal, possui uma janela de 12 metros de largura que seria inutilizada caso a construção do empresário saia do papel. A alegação é de que o projeto do dono do SBT “é uma ameaça concreta de transformação de ambiência de bem nacional, visto que edifícios altos, imediatamente vizinhos, privarão a comunidade teatral, o bairro do bixiga e a cidade de São Paulo da historicidade dinâmica e da produção de narrativas tão bem expressas na materialidade da arquitetura e do entorno do Teatro Oficina”.  

Uma proposta de contrapartida as torres é a construção do Parque do Bixiga. O projeto, idealizado por diversos vereadores -entre eles Gilberto Natalini (PV) e Eduardo Suplicy (PT)-, ocuparia uma área de 11 metros quadrados juntos às ruas Jaceguai, Abolição e Santo Amaro. Contudo, para esse plano ser posto em prática a Prefeitura teria de comprar o terreno de Silvio Santos

A companhia divulgou um cronograma de datas para manifestações de apoio ao Parque, que tem início no dia 4 de junho. Leia a nota de denúncia da companhia aqui.

 

Fonte: Veja

 



Artigos relacionados

Anunciados os vencedores do 5º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake Akzonobel

A exposição com as obras vencedoras fica aberta até o dia 23 de setembro. Os 13 projetos finalistas – selecionados entre os 244 inscritos, provenientes de 17 Estados brasileiros e Distrito Federal – fazem parte da exposição no Instituto Tomie

Arquitetos do DF criam monumentos públicos e viram referência nacional

O Plano Piloto nasceu de um edital público e os profissionais da cidade estão levando essa tradição e conhecimento para o resto do país   Brasília nasceu de um concurso de urbanismo e arquitetura. No fim da década de 1950,

Inaugurado o primeiro edifício brasileiro assinado por Norman Foster

São 21 andares e uma vista de arrepiar. De um lado a Baía de Guanabara, de outro o morro da Providência, o relógio da Central do Brasil, o Pão de Açúcar e o Corcovado. O Aqwa Corporate, projetado pelo arquiteto

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta