Iphan barra proposta de reconstrução do Eixão Sul

O projeto apresentado pelo Departamento de Estradas de Rodagem do DF para a reconstrução do trecho do Eixão Sul que desabou em fevereiro deste ano foi barrado pela Superintendência do Iphan no Distrito Federal.

A justificativa do órgão responsável pelo patrimônio histórico do Brasil é de que a proposta “altera fortemente a arquitetura original e compromete a integridade arquitetônica e urbanística e, por extensão, do conjunto da Plataforma Rodoviária e sistema viário complementar”.

 

Segundo o laudo do Iphan, o maior problema da proposta apresentada é o tamanho dos pilares, muito maiores que os do projeto original. Após consultar a Universidade de Brasília, o Instituto recomendou ao DF que diminua “ao máximo possível” as dimensões dos apoios de concreto.

“Durante reunião com representantes do GDF, do DER e da Novacap, ficou definido um novo encontro para ainda esta semana para debater nova proposta que inclua, também, a questão da ambiência da área. Um dos objetivos do Iphan é garantir a gestão compartilhada do Conjunto Urbano de Brasília, visando a preservação do bem tombado e a segurança da população”, afirmou o Iphan.

 

 

Via G1



Artigos relacionados

Gasto em Infraestrutura cai quase pela metade

O Brasil teve seu pior desempenho em infraestrutura em uma década. De acordo com os últimos dados levantados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2016 o valor total das obras realizadas no país, naquele ano, somou R$99,2

São Luís completa 20 anos como cidade Patrimônio da Humanidade

Conjunto arquitetônico composto por mais de mil casarões seculares, celebra os 20 anos do título de concedido pela UNESCO em 6 de dezembro de 1997.   São Luís celebra nesta quarta-feira (6), os 20 anos do título de Patrimônio Mundial

Pesquisa Inédita: percepções da sociedade sobre Arquitetura e Urbanismo

No mês em que a ONU comemora o “outubro urbano”, o Brasil toma conhecimento de dados preocupantes em relação a obras particulares de suas cidades. Pesquisa inédita realizada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e pelo Instituto

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta