Irmãos Roberto, o filme

Irmãos Roberto, o filme

Marcelo, Milton e Maurício são conhecidos no meio arquitetônico como Irmãos Roberto. Eles fazem parte da mesma geração responsável por popularizar o modernismo brasileiro. Os irmãos Roberto foram os responsáveis pelo prédio da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio de Janeiro, e o Aeroporto Santos Dumont. Apesar de sua importância, principalmente em projetos de moradia de classe média, eles não figuram ao lado de seus contemporâneos Oscar Niemeyer e Lúcio Costa.

O documentário Irmãos Roberto foi lançado em maio de 2014 e busca fazer jus aos três arquitetos, resgatando seus valores e sua contribuição ao modernismo brasileiro.


Artigos relacionados

Edifício Joaquim Nabuco é reaberto

A reinauguração do Edifício Joaquim Nabuco, que ocorrerá nesta terça-feira (17), às 19h, contará com diversas exposições realizadas por alunos, professores e parceiros da Universidade de São Paulo. São elas: Experimento, Encyclopædia, Papyrus Textil, Simplex Machina, Pina in Memoriam e

Pesquisa Inédita: percepções da sociedade sobre Arquitetura e Urbanismo

No mês em que a ONU comemora o “outubro urbano”, o Brasil toma conhecimento de dados preocupantes em relação a obras particulares de suas cidades. Pesquisa inédita realizada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e pelo Instituto

Rio recebe ​​mostra Natatório, da artista argentina ​Marcolina Dipierro​

A Fundação Getulio Vargas está na Bienalsur (Bienal Internacional de Arte Contemporáneo de América del Sur), uma iniciativa que conecta 32 cidades de 16 países do mundo, com mais de 250 artistas e curadores dos cinco continentes. A ideia do evento é gerar uma rede

Um comentário

Escreva um comentário
  1. Edgar Rodrigues de Lima
    Edgar Rodrigues de Lima 6 junho, 2014, 09:12

    Parabéns pela iniciativa.Os temas são de suma importância para termos uma melhor compreensão e entendimento sobre a nossa cultura em suas diversas dimensões e, principalmente, para termos uma melhor compreensão sobre as nossas percepções ante os ambientes e os espaços construídos em nossas cidades, ou seja, os modelos e as propostas urbanas que nos inibem e segregam..

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: