Irmãos Roberto, o filme

Irmãos Roberto, o filme

Marcelo, Milton e Maurício são conhecidos no meio arquitetônico como Irmãos Roberto. Eles fazem parte da mesma geração responsável por popularizar o modernismo brasileiro. Os irmãos Roberto foram os responsáveis pelo prédio da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio de Janeiro, e o Aeroporto Santos Dumont. Apesar de sua importância, principalmente em projetos de moradia de classe média, eles não figuram ao lado de seus contemporâneos Oscar Niemeyer e Lúcio Costa.

O documentário Irmãos Roberto foi lançado em maio de 2014 e busca fazer jus aos três arquitetos, resgatando seus valores e sua contribuição ao modernismo brasileiro.


Artigos relacionados

Série brasileira Habitar Habitat recebe o Prêmio TAL de Melhor Produção de Série

A série Habitar Habitat, realizada pelo SescTV e produzida pelas produtoras Revanche Produções e Miração Filmes, recebeu na última quinta (31/07) o Prêmio TAL da categoria Produção de Série.

Plataforma online conta a história do urbanismo no Brasil

Desde 2003 é realizado um projeto de pesquisa intitulado Cronologia do Pensamento Urbanístico. Desenvolvida pelo Laboratório de Estudos Urbanos (PROURB/FAU-UFRJ) em colaboração com o Laboratório Urbano (PPG-AU/FAUFBA), a pesquisa apresentada é centrada na historiografia do pensamento urbanístico com foco na

Ocupação: Paulo Mendes da Rocha

O Arquiteto Paulo Mendes da Rocha é o 41º homenageado do programa Ocupação, cuja proposta é que a arquitetura sirva como narrativa das experiências que os espaços podem nos permitir. As obras do arquiteto estão expostas no Itaú Cultural, em

Um comentário

Escreva um comentário
  1. Edgar Rodrigues de Lima
    Edgar Rodrigues de Lima 6 junho, 2014, 09:12

    Parabéns pela iniciativa.Os temas são de suma importância para termos uma melhor compreensão e entendimento sobre a nossa cultura em suas diversas dimensões e, principalmente, para termos uma melhor compreensão sobre as nossas percepções ante os ambientes e os espaços construídos em nossas cidades, ou seja, os modelos e as propostas urbanas que nos inibem e segregam..

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: