Livro Lina Bo Bardi é lançado em São Paulo

O livro traz um panorama da obra e do pensamento de Lina através de textos, desenhos e fotografias. “A obra de Lina é referência obrigatória para aqueles que veem na arquitetura a possibilidade de lutar por um mundo mais justo e confortável”, diz Marcelo Ferraz, que trabalhou por quinze anos com a arquiteta, compartilhando ideias e desafios. Para Ferraz, o livro permanece atual e instigante. Mostra Lina por Lina sem modismos, folclore ou mistificação, tornando-se fonte primária de pesquisa e apreciação de sua obra.

O Instituto Bardi/Casa de Vidro, em parceria com a Romano Guerra Editora, lançou a 4ª edição do livro Lina Bo Bardi. Organizado por Marcelo Ferraz, a primeira edição foi publicada em 1993, um ano após o falecimento da arquiteta. A última versão da obra está esgotada desde 2010.

 

 

“Com nova tecnologia de digitalização de imagens, esta reedição reproduz o conteúdo de edições anteriores, preservando a escrita e a identidade visual da obra”, observa Victor Nosek, designer gráfico da primeira edição do livro, que desenvolveu nova capa para a publicação. A capa atual, fotografada por Nelson Kon, revela um detalhe do jardim vertical projetado por Lina para o Palácio das Indústrias, sede da Prefeitura de São Paulo, em 1990.

De acordo com Sonia Guarita do Amaral, presidente do Conselho de Administração do Instituto Bardi / Casa de Vidro, a reedição foi viabilizada através da Lei Rouanet / Minc com o patrocínio da Imprensa Oficial do Estado – Secretaria da Cultura e o apoio da EDP.

O lançamento marca, além dos 25 anos da obra, a mudança de nome da instituição, fundada pelos Bardi em 1990 com o nome Quadrante. “Em 1993, um ano após a morte da arquiteta, e como última homenagem à mulher com quem conviveu por 46 anos, Pietro Maria Bardi, reúne o legado cultural do casal no novo nome: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi”, acrescenta Sonia Guarita.

 

Via CAU/BR



Artigos relacionados

Petição online quer isentar IPTU para imóveis tombados em SP

Como pagar 27 mil reais de IPTU e investir em preservação do patrimônio arquitetônico enquanto incorporadores oferecem fortunas?

Inaugurado o primeiro edifício brasileiro assinado por Norman Foster

São 21 andares e uma vista de arrepiar. De um lado a Baía de Guanabara, de outro o morro da Providência, o relógio da Central do Brasil, o Pão de Açúcar e o Corcovado. O Aqwa Corporate, projetado pelo arquiteto

Paulo Mendes da Rocha vai presidir o comitê de honra do UIA2020RIO

Sendo hoje um dos arquitetos brasileiros mais reconhecidos mundialmente , Paulo Mendes da Rocha foi convidado por Nivaldo Andrade (Presidente Nacional do IAB), Luiz Antonio de Souza (Secretário Geral da Direção Nacional do IAB) e Celio Melis para presidir o

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta