Sindicato faz campanha para valorizar o jovem arquiteto

O Sindicato dos Arquitetos do Rio Grande do Sul (SAERGS) preparou uma campanha de conscientização para os recém-formados em arquitetura ficarem alertas quanto às armadilhas que muitas vezes pioram as condições de mercado para estes profissionais. Em 2012, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo realizou o censo dos profissionais brasileiros e a má remuneração ficou entre os principais obstáculos para esses novos profissionais. O estudo indica também a precarização do trabalho e métodos de contratação ilegais por parte das empresas. Além disso, a maioria dos arquitetos brasileiros são assalariados. Atento a esta realidade o sindicato gaúcho lançou a campanha “Manual de Defesa Pessoal do Jovem Arquiteto e Urbanista“, que foi realizada em parceria com o Diretório Acadêmico da Faculdade de Arquitetura da UFRGS.

 

Confira abaixo as dicas:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.


Artigos relacionados

Cinco prédios brasileiros vencem prêmio internacional de arquitetura

Dos 31 premiados pelo Mies Crown Hall Americas Prize, cinco são brasileiros. Destaques foram escolhidos entre 200 concorrentes da América do Norte e do Sul Via Gazeta do Povo     O prêmio de arquitetura Mies Crown Hall Americas Prize (MCHAP)

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP

O prédio da FAU-USP é um exemplar único da materialização de um conceito de escola como um lugar onde todos se reúnem para aprender, ensinar e aprender a ensinar. Isso é ressaltado pelo fato da escola não ter portas, sob

Discurso de Artigas para os formandos de 1964

Paraninfo da turma de 1964, o arquiteto Vilanova Artigas teve de se exilar devido à ditadura

6 comentários

Escreva um comentário
  1. Suellen
    Suellen 1 setembro, 2014, 09:42

    Infelizmente não conheço nenhum escritório que pague esses valores. Já trabalhei em construtoras que me registraram como assistente técnico em que não ganhava nem metade disso e um escritório de arquitetura muito conhecido em SP que “obrigava” os funcionários a trabalhar 12 horas por dia na condição de autônomo, com um salário que tenho até vergonha de colocar aqui, sem nenhum tipo de direito, e até mesmo no escritório de uma senhora bem conhecida que aparece em programas de TV que se vende como arquiteta e decoradora e não tem nem sequer um curso nessa área….e essas foram só a minhas experiencias. Acho lamentável que não haja mais fiscalização e principalmente mais penalidade para essas pessoas que não dão valor para o profissional que está lá zelando pelo nome delas…

    Responda este comentário
  2. Patrícia
    Patrícia 1 setembro, 2014, 09:47

    Por que o Sindicato não fiscaliza os escritórios?

    Responda este comentário
  3. Vanessa
    Vanessa 1 setembro, 2014, 09:52

    A intenção da campanha é boa, mas somente isso não é o suficiente. É preciso que haja uma fiscalização por parte do sindicato para que isto mude!

    Responda este comentário
  4. Juliana Sá
    Juliana Sá 8 setembro, 2014, 10:09

    Bom dia, sou arquiteta formada a 4 meses estou no aguardo dos documentos da faculdade para dar entrada no meu registro. Trabalho em um escritório de arquitetura, tem eu e mais 4 arquitetas além da dona do escritório. Aqui ninguém tem carteira assina e nem contrato trabalhamos de forma autônoma. O meu caso é que já estou a 3 meses aqui e nada ainda foi conversado sobre o reajuste do meu salário, ainda estou recebendo como estagiária mas trabalhando 8 horas por dia com uma hora de almoço.Já que eu me formei e já tem 4 meses gostaria de saber quais direitos tenho sobre isso, será que já é o momento de eu pedir o aumento do salário? O que mais posso exigir? Gostaria de uma orientação. Obrigada.

    Responda este comentário
  5. Edson Lima
    Edson Lima 16 setembro, 2014, 20:15

    Os dirigentes do sindicato deveriam conhecer a realidade dos escritórios de arquitetura. Essa visão é unilateral. Hoje não contratamos arquitetos devido ao alto custo dos impostos. Infelizmente, o piso salarial previsto em lei é irreal, prova disso é que ninguém consegue contratar, nem mesmo os grandes escritórios.

    Responda este comentário
  6. Tati
    Tati 18 setembro, 2014, 23:11

    Se todos cobrassem o valor devido do cliente não estaríamos passando por esta situação.

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: