Casa com jeito de praça

Casa com jeito de praça

Marcos de Azevedo Acayaba (São Paulo SP 1944). Arquiteto, urbanista e professor. Em 1969, forma-se na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU/USP, escola na qual leciona temporariamente entre 1972 e 1976, e definitivamente desde 1994. Ainda estudante, trabalha como estagiário no escritório do engenheiro Mange (1922 – 2005), seu professor. Nessa ocasião, ajuda a desenvolver o projeto da cidade de Ilha Solteira, São Paulo, encomendado pela construtora Camargo Correia. Sua carreira desponta com o projeto da Residência Milan, 1972, na qual reside até hoje com a família. Após essa primeira fase de sua obra, inspirada pela forma livre de Oscar Niemeyer (1907 – 2012) e pelo uso “brutalista” do concreto aparente em São Paulo, passa paulatinamente a utilizar sistemas construtivos variados, tais como a alvenaria armada, a estrutura metálica e, finalmente, a estrutura de componentes de madeira industrializada. Esta é empregada pela primeira vez no projeto da Residência Olga, 1987, com base no sistema construtivo desenvolvido e fabricado pela Ita Construtora. Com a madeira, Acayaba consegue realizar construções leves e com grande balanço.

Conheça a casa de Marcos Acayaba, parte do documentário Casa de Arquiteto, da série Habitar/Habitat, dirigida por Sérgio Roizenblit e Paulo Markun para o SESCTV.


Artigos relacionados

Feliciano da Cunha: casa caiçara

Feliciano da Cunha fala da liberdade da vida do caiçara, quase equivalente à vida indígena. Explica a confecção da tradicional casa caiçara e o sistema de trabalho comunitário que define a posição das moradias. Vídeo da série Habitar/Habitat, 13 documentários

Sindicato faz campanha para valorizar o jovem arquiteto

Lista de orientações do Sindicato dos Arquitetos do Rio Grande do Sul para valorizar o arquiteto em início de carreira.

CAU/BR lança campanha “Projeto Arquitetônico, só com arquiteto”

Campanha do CAU/BR chama atenção para o respeito à resolução 51

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta