METRO Arquitetos, parceria com Paulo Mendes da Rocha

METRO Arquitetos, parceria com Paulo Mendes da Rocha

Fundado em 2000, em S. Paulo, e formado por Martin Corullon e Gustavo Cedroni, METRO é um escritório de arquitetura que desenvolve projetos em diferentes escalas, de instalações temporárias a intervenções urbanas. O trabalho alia uma tradição arquitetônica moderna, proveniente da constante colaboração com o arquiteto Paulo Mendes da Rocha, a uma prática que atende a demandas contemporâneas. Por um lado, trata-se de uma arquitetura na qual a organização material está a serviço do uso coletivo do espaço construído; por outro, considera-se a importância da especulação formal e dos materiais, em uma abordagem que procura reconhecer e apresentar soluções às necessidades e desejos da ampla rede de atores envolvidos na produção do espaço. O projeto é resultado de um procedimento que procura identificar, desenhar e dar forma arquitetônica aos sistemas infra-estruturais do programa, amplificando suas funções e dando lugar a usos imprevistos.

A relação entre as intervenções e o ambiente em que se inserem é especialmente considerada nos projetos do escritório, que busca as mais atualizadas ferramentas para obter a melhor performance ambiental dos artefatos construídos. Desenvolve-se assim uma prática que alia rigor técnico, detalhamento minucioso e pesquisa, e que tem se consolidado com experiências de coordenação e gerenciamento de projetos para obras de grande porte e complexidade.


Artigos relacionados

Mostra internacional sobre Lina Bo Bardi chega em São Paulo

Hospedada no Sesc Pompeia a exposição sobre a arquiteta italo-brasileira fica em cartaz até o dia 11 de dezembro

Vivendo sobre palafitas

São sistemas construtivos de estacas de madeira utilizados em edificações em áreas alagadiças cuja função é evitar que as casas sejam arrastadas pela correnteza dos rios. Encontradas em áreas tropicais e equatoriais de alto índice pluviométrico, como na Amazônia e

Cidades para pessoas: 5 lições de Copenhague para São Paulo

A capital da Dinamarca era muito parecida com a São Paulo dos anos 50. O que mudou?

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta