Morre o arquiteto e urbanista Paulo Zimbres

Paulo de Melo Zimbres, que morreu na madrugada deste dia 03 de junho. Nascido em Ouro Preto em 1933, graduou-se arquiteto e urbanista em 1960 pela FAU-USP. Iniciou sua carreira como professor universitário na UnB em 1968 no processo de reorganização e reabertura do curso de Arquitetura, após a debandada de professores (inclusive Oscar Niemeyer) durante o período da ditadura militar.

 

 

Na UnB, projetou o emblemático prédio da Reitoria (foto acima) e foi chefe o Centro de Planejamento. Sempre dedicado ao ensino e à prática projetual, Zimbres ainda realizou inúmeras obras residenciais, além de equipamentos para campi universitários, como a biblioteca da Universidade Federal de Uberlândia e o Teatro Unimep. Destacou-se também em concursos públicos e realizou as obras do Conselho Federal de Medicina e do CREA/DF.

Atuou proficuamente desenhando espaços urbanos com destaque a três importantes bairros de Brasília: os Setores Sudoeste e Noroeste, e Águas Claras. Paulo Zimbre dedicou mais de 60 anos de sua vida à Arquitetura e ao Urbanismo em suas diversas frentes de atuação. Os arquitetos estendem suas condolências à família e amigos que o têm como referência permanente.

Fonte CAU/BR



Artigos relacionados

Novo diretor do Museu da Cidade quer unificar projetos de memória

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Marcos Cartum confirmou ter aceitado o convite de Alê Youssef, atual secretário de Cultura, para assumir a diretoria do Museu, que é um dos principais órgãos da Secretaria Municipal de Cultura, responsável pela administração

Justiça suspende criação do Parque Augusta

Após o Ministério Público questionar a constitucionalidade de lei que cria o parque, alegando falta de estudos sobre impactos urbanísticos na cidade, a Justiça suspendeu em caráter provisório a lei municipal de São Paulo que cria o Parque Minhocão. O

Mostra em Belo Horizonte reúne propostas para vazios urbanos

  A exposição “Outros Territórios” abre no dia 27 de abril (sábado), no Viaduto das Artes, no Barreiro, em Belo Horizonte, apresentando 26 propostas de arte e arquitetura selecionadas pelo júri e pela comissão organizadora da “Chamada Internacional de Projetos

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta