No aniversário de Oscar Niemeyer, auditório do Memorial é reaberto

No aniversário de Oscar Niemeyer, auditório do Memorial é reaberto

Passou-se quatro anos desde que o auditório Simon Bolivar, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, foi atingindo por um incêndio que destruiu boa parte de sua estrutura e diversas obras de arte que compunham o espaço. Agora, 15 de dezembro de 2017, dia do aniversário de 110 anos do renomado arquiteto, o espaço que faz parte do Memorial da América Latina é reaberto – e em grande estilo. 

Com 6 mil m² de área, o novo auditório mantém o projeto original do arquiteto Oscar Niemeyer e também revitaliza algumas das principais obras que compunham seu interior. Por exemplo, a tapeçaria de 840 m², da artista Tomie Ohtake, que revestia a toda a parede lateral do auditório, foi refeita – e com material não inflamável, para evitar danos futuros. 

Outras duas obras danificadas pelo incêndio também foram recuperadas: a “Pomba”, escultura de Alfredo Ceschiatti que agora deve ficar no alto da rampa de entrada do auditório, e o mural “Agora”, de Victor Arruda, estão recebendo os visitantes no foyer do auditório. 

Para celebrar este recomeço, o auditório de 1788 lugares projetado por Oscar Niemeyer receberá apresentações à altura. No dia 15, a Orquestra Jazz Sinfônica será a principal atração da festa de reinauguração, que começa às 19h30. Já dia 16, o palco recebe o show “Jazz & Divas – Homenagem a Elza Soares”, com apresentações de Baby do Brasil, Paula Lima, Lineker, Rosana, Vania Bastos, Sandra de Sá, As Bahias e a Cozinha Mineira.

 

 

Via Casa Vogue

 



Artigos relacionados

Gregory Warchavchik

Foto Zanella & Morcardi, Acervo FAU USP Nascido em Odessa, na Ucrânia, em 1896, Gregori Ilych Warchavchik Formou-se em 1920, no Reggio Istituto Superiori di Belle Arti [Real Instituto Superior de Belas Artes], em Roma, e chegou a trabalhar com

Lúcio Costa

O urbanista que inventou Brasília era filho de brasileiros em serviço no exterior e nasceu na França. Estudou pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas-Artes, formou-se em 1924 e foi nomeado diretor da mesma instituição em 1930.

André Corrêa do Lago é o primeiro brasileiro a integrar o júri do Pritzker

Esta é a primeira vez que um brasileiro é convidado a fazer parte da equipe de júri do Pritzker, considerado o Nobel da Arquitetura. A decisão foi anunciada no sábado, 20 de maio, durante a entrega do prêmio aos integrantes

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta