Obra da fachada do Palácio Gustavo Capanema é concluída

O edifício – um marco da arquitetura moderna no Brasil – passava por uma série de reparos desde 2014. O restauro da fachada do prédio, que já durava cerca de dois anos, foi finalizado nessa semana. A obra foi oficialmente entregue numa cerimônia com a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, e do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Construído entre 1937 e 1945, o projeto, inspirado por Le Corbuisier, foi liderado por Lúcio Costa e contava com  Oscar Niemeyer Carlos Leão, Jorge Moreira, Affonso Eduardo Reidy e Ernani Vasconcellos. Com 16 andares, ele foi construído numa área de 27.536 metros quadrados.

O prédio apoia-se em pilotis de dez metros e seus 16 andares foram erguidos com materiais arrojados: ferro e concreto, mármore de lioz, tijolo de vidro inglês misturado com mármore amarelo. Possui jardim projetado por Roberto Burle Marx. Os painéis de azulejos  são obra de Cândido Portinari. É decorado com esculturas de Bruno Giorgi, Celso Antônio e Alfredo Ceschiatti, e telas de Guignard e Pancetti. Possui livraria, espaço para exposições e apresentações.

Antiga sede do Ministério da Educação e Cultura, o Palácio Gustavo Capanema está sendo preparado para sediar em 2020 o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, promovido pela União Internacional de Arquitetos (UIA). Segundo o Iphan, desde o início das intervenções já foram investidos R$ 28 milhões, em ações como a restauração dos revestimentos de pedra dos pilotis; impermeabilização do terraço-jardim e da cobertura do bloco de auditórios; além da modernização dos elevadores.

 

 

Fontes: O Globo; Mapa de Cultura RJ

 

 

 



Artigos relacionados

Projeto de Zaha Hadid no Rio de Janeiro é abandonado

O “Residencial Casa Atlântica”, primeiro projeto de Zaha Hadid na América do Sul que seria construído em Copacabana, foi cancelado devido à “demora da prefeitura para liberar a licença de obras e o consequente atraso do lançamento e da inauguração

Governo do DF ignora veto do Iphan e mantém projeto do viaduto

Instituto afirma que proposta do Executivo fere tombamento de Brasília; Governo defende que alteração é para garantir a segurança O governo do Distrito Federal garantiu que pretende manter o projeto de revitalização do viaduto da Galeria dos Estados, mesmo sem

Os jardins verticais e a compensação ambiental

A Justiça negou o pedido do Ministério Público de liminar que impede o município de São Paulo de tratar os jardins verticais como uma compensação ambiental do desmatamento causado pelos novos empreendimentos. De acordo com o promotor de Justiça Marcos

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta