Obras de Oscar Niemeyer são tombadas como Patrimônio Cultural

No dia 7 de junho, o Ministério da Cultura decretou o tombamento de 27 obras projetadas pelo arquiteto. Entre elas está o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional, o Museu da Arte Contemporânea em Niterói e o Conjunto do Parque Ibirapuera em São Paulo.

Oscar Niemeyer faleceu em 2012, aos 104 anos. Deixou contudo, mais de 200 obras públicas, localizadas não só no Brasil, mas no exterior.

 Confira a lista completa das obras tombadas:

  • Praça dos Três Poderes

  • Congresso Nacional

  • Conjunto do Palácio da Alvorada

  • Palácio do Planalto

  • Supremo Tribunal Federal

  • Ministérios e anexos

  • Quartel General do Exército

  • Palácio Jaburu

  • Palácio da Justiça

  • Palácio Itamaraty e anexos

  • Museu da Cidade

  • Espaço Lúcio Costa

  • Panteão da Liberdade e Democracia

  • Teatro Nacional

  • Memorial JK

  • Memorial dos Povos Indígenas

  • Conjunto Cultural Funarte

  • Espaço Oscar Niemeyer

  • Conjunto Cultural da República

  • Edifício do Touring Club do Brasil

  • Casa de Chá

  • Pombal

  • Capela Nossa Senhora de Fátima

  • Casa das Canoas (Rio de Janeiro)

  • Conjunto da Passarela do Samba (Sambódromo da Marquês de Sapucaí)

  • Museu de Arte Contemporânea – MAC (Niterói)

  • Conjuntos do Parque do Ibirapuera (São Paulo), especificamente: a Grande Marquise, o Palácio das Nações (Pavilhão Manoel da Nóbrega), o Palácio dos Estados (Pavilhão Francisco Matarazzo Sobrinho), o Palácio das Indústrias (Pavilhão Armando de Arruda Pereira), o Palácio de Exposições ou das Artes (Pavilhão Lucas Nogueira Garcez, também conhecido como “Oca”) e o Palácio da Agricultura.



Artigos relacionados

Novo Sesc 24 de maio será inaugurado em agosto

O novo centro cultural recreativo está localizado na Rua Dom José de Barros, próximo ao Teatro Municipal, a Galeria do Rock e a Praça da República, no centro de São Paulo. O endereço da rede ocupa o antigo prédio da

Mário Yoshinaga: bom projeto tem que dialogar

Arquiteto e professor da Universidade de Guarulhos, Mário Yoshinaga diz que um bom projeto de arquitetura tem que, antes de mais nada, ser capaz de dialogar com o ambiente, os materiais, os usuários e a cidade. E cita um exemplo:

CAU Conversa: Rosa Kliass

Rosa é a terceira convidada da série CAU Conversa

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta