Os jardins verticais e a compensação ambiental

Os jardins verticais e a compensação ambiental

A Justiça negou o pedido do Ministério Público de liminar que impede o município de São Paulo de tratar os jardins verticais como uma compensação ambiental do desmatamento causado pelos novos empreendimentos.

De acordo com o promotor de Justiça Marcos Stefani, da 1ª Promotoria de Justiça de Meio Ambiente de São Paulo, os jardins verticais são uma tentativa falha de proporcionar os mesmos serviços que as árvores adultas, porque realizam fotossíntese e evapotranspiração em menores escalas. Para ele, os jardins são benéficos à cidade, mas não são capazes de substituir as espécies arbóreos.

A Justiça, no entanto, recusou os argumentos do promotor. “Há muitos critérios técnicos, não abordados amplamente na inicial [do Ministério Público] que devem ser considerados; igualmente, há diversas situações fáticas que podem ora autorizar a compensação ambiental, ora desaprová-la, mas o pedido não faz distinção alguma e pretende a difusa e irrestrita suspensão de sua aplicação”, explica juiz Luis Manuel Fonseca Pires, da 3ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo.

A partir de agora, o processo continua e a prefeitura poderá se defender. A prefeitura já está ciente da decisão e não se posicionou sobre a mesma.

 

Fonte: G1



Artigos relacionados

Jaime Lerner é eleito 2º urbanista mais influente da história

Jaime Lerner foi eleito pela revista Planetizen o segundo urbanista mais importante do mundo. O curitibano é o único brasileiro a figurar na lista dos 100 urbanistas mais influentes de todos os tempos elaborada pela publicação dos EUA. Hoje com 80

Seis desafios para mudar as cidades por Raquel Rolnik

Desafios das metrópoles brasileiras que precisam de enfrentamento amplo.

Projeto “Volume Vivo” investiga a crise hídrica do estado de São Paulo

Preocupado com a pior crise hídrica que a cidade de São Paulo vive nos últimos 80 anos, o cineasta Caio Ferraz resolveu fazer uma série de mini documentários sobre o assunto para explicar as múltiplas causas da falta de água.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta