Palácio Gustavo Capanema

Palácio Gustavo Capanema

Fotografia por Cabano

Desenvolvido por Lúcio Costa, Affonso Eduardo Reidy, Carlos Leão, Ernani Vasconcellos, Jorge Machado e Oscar Niemeyer, a sede do antigo Ministério da Educação e Saúde Pública é sem dúvida um dos exemplares mais contundentes do impacto da obra de Le Corbusier sobre os arquitetos modernos brasileiros na primeira metade do século XX.

Contudo, se é possível identificar ecos das propostas do arquiteto franco-suíço, responsável pela supervisão inicial do projeto do Ministério em 1936, seja em função da aplicação de seus cinco pontos da arquitetura – térreo com pilotis, estrutura independente, aberturas horizontais, terraço-jardim e fachada livre – seja em função da adoção do brise-soleil, que ele havia desenhado três anos antes, é patente também que os arquitetos brasileiros, ao desenvolverem o projeto, superaram as lições do mestre, criando a primeira e mais significativa obra da arquitetura moderna brasileira.

Como marco inaugural dessa arquitetura, o Ministério carrega as qualidades essenciais que destacaram a produção nacional do conjunto arquitetônico moderno mundial, a saber: a recuperação e releitura de elementos tradicionais locais como azulejos e muxarabis; o amolecimento da geometria rígida das vanguardas arquitetônicas europeias pela adoção da linha curva e diagonal; a articulação entre volumes desenhados conforme o programa de necessidades, cujas formas se complementavam e contrastavam; a integração entre os espaços externos e internos, ou dito de outro modo, entre arquitetura e natureza.

O Palácio Gustavo Capanema merece atenção também por propor um novo arranjo para os edifícios públicos de repartição; por sua implantação contrastante em relação ao entorno, definido pelo Plano Agache e por quadras desenhas nos limites dos lotes; pelo paisagismo concebido por Burle Marx e pelo importante conjunto de obras artísticas realizadas por Cândido Portinari, Celso Antônio e Bruno Giorgi.

(Fotografia do blog http://cabanodatabauera.blogspot.com.br/)



Artigos relacionados

Parque Villa Lobos

Fotografia de André Bonacin A ideia de criar um parque em homenagem ao compositor Heitor Villa-Lobos surgiu em 1978. O projeto, do arquiteto Décio Tozzi, levou anos para se concretizar, mas hoje o espaço é uma das áreas de lazer

Conjunto Habitacional do Pedregulho

O conjunto chama atenção na paisagem do bairro de São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro. Foi criado originalmente para ser moradia dos funcionários do Distrito Federal, antigo estado da Guanabara.

Concreto armado

O concreto armado abriu novos precedentes para a arquitetura brasileira. A união de resistência à tração e compressão permitiu projetos mais ousados no aspecto formal.

2 comentários

Escreva um comentário
  1. Joao
    Joao 21 abril, 2014, 15:01

    pilotis em todos os lugares, palácio capanema é lindo. Com seus azulejos

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: