Parque Villa Lobos

Parque Villa Lobos

Fotografia de André Bonacin

A ideia de criar um parque em homenagem ao compositor Heitor Villa-Lobos surgiu em 1978. O projeto, do arquiteto Décio Tozzi, levou anos para se concretizar, mas hoje o espaço é uma das áreas de lazer mais visitadas da cidade, percorrido por cinco mil pessoas durante a semana, 20 mil aos finais de semana e 30 mil em feriados.

Situado no bairro Alto de Pinheiros, zona Oeste da cidade, o Villa Lobos tem ciclovia, quadras, bosque, campos de futebol, playground, aparelhos de ginástica, pista de cooper e tabelas de street basketball espalhados por 732 mil metros quadrados de muito verde.

Há muitas maneiras de usufruir o espaço: o “Vai pela Sombra” é uma forma do visitante fazer uma trilha de pedriscos e andar pelos principais bosques do parque. O “Circuito das Árvores” é uma passarela elevada que, no ponto mais alto, chega a ter 3,5 metros de altura, além de 120 metros de extensão. Durante o passeio, é possível ver árvores e aves de diversas espécies. O Villa-Lobos conta ainda com o “Orquidário Ruth Cardoso” e o “Ouvillas”, espaço ao ar livre com taludes, bancos e espreguiçadeiras para que os visitantes apreciem apresentações musicais.


Artigos relacionados

E a velha fábrica ganhou nova vida

Concebido por Lina Bo Bardi em colaboração com André Vainer e Marcelo Ferraz, o Sesc Fábrica da Pompéia é um dos exemplos mais bem sucedidos de criação de um espaço público de lazer, cultura e esporte construído na cidade de

Praça da Estação

De ambiente degradado a uma uma grande esplanada. De porto seco a espaço cultural.

Mangal das Garças

Fotografia por Leo Soares O Parque Naturalístico Mangal das Garças é o resultado da revitalização de uma área de cerca de 40.000 metros quadrados às margens do Rio Guamá, nas franjas do centro histórico de Belém, capital do Pará. Criado

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta