Pé direito

Pé direito

O pé direito, em linguagem de arquiteto e construtor, corresponde à distância entre o piso e o teto.

Em São Paulo, por exemplo, prédios mais antigos tem facilmente mais de três metros de pé direito, é o caso do edifício Copan. Já residências mais atuais possuem um pé direito baixo. Essa escolha passou a ser aplicada para que os novos prédios pudessem ter mais andares, otimizando o uso do espaço e dos materiais.

O pé direito de uma construção tem impacto na ventilação interna e na temperatura do ambiente. Pés direitos muito baixos podem dar uma sensação de aprisionamento, podendo até ser angustiantes. Já os muito altos potencializam a escala interna da edificação. Mas evidentemente, um bom projeto de arquitetura leva tais aspectos em consideração.



Artigos relacionados

Sacada

Sacadas ou balcões são plataformas salientes na parede de um edifício. De pequena área, podem ser cobertas ou descobertas e cercadas com balaústres, parapeitos ou grades. Observa-se um aumento da importância das sacadas nos últimos anos como espaço de lazer

Pilotis

Típicos da arquitetura modernista brasileira, os pilotis foram essenciais para a aplicação dos valores dessa escola. Uma marca dessa escola é o vão livre no térreo, o qual não seria possível sem a sustentação dos edifícios através de pilotis.

Paisagismo

Paisagismo é muito mais que um belo jardim. Os arquitetos paisagistas partem do princípio de que a paisagem é um elemento a ser construído, tanto quanto os edifícios e o ambiente urbano.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Seu e-mail nâo será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados*