Pé direito

Pé direito

O pé direito, em linguagem de arquiteto e construtor, corresponde à distância entre o piso e o teto.

Em São Paulo, por exemplo, prédios mais antigos tem facilmente mais de três metros de pé direito, é o caso do edifício Copan. Já residências mais atuais possuem um pé direito baixo. Essa escolha passou a ser aplicada para que os novos prédios pudessem ter mais andares, otimizando o uso do espaço e dos materiais.

O pé direito de uma construção tem impacto na ventilação interna e na temperatura do ambiente. Pés direitos muito baixos podem dar uma sensação de aprisionamento, podendo até ser angustiantes. Já os muito altos potencializam a escala interna da edificação. Mas evidentemente, um bom projeto de arquitetura leva tais aspectos em consideração.



Artigos relacionados

Iluminação zenital

Técnica utilizada para permitir que a luz natural penetre no ambiente através de pequenas ou grandes aberturas criadas na cobertura de uma edificação. Pode ser empregada por razões estéticas, como no caso do prédio da FAU-USP ou quando há um

O que faz um arquiteto?

Arquiteto é o profissional que projeta e idealiza os espaços para os mais diversos usos humanos. Pode ser um prédio, uma praça, uma casa ou mesmo uma área verde. Ele quem planeja as construções, organiza os espaços e encontra soluções

Verticalização

A verticalização das cidades contemporâneas é um processo universal e relativamente antigo e segundo os especialistas, é uma conseqüência natural da urbanização.  Ele está diretamente associado ao desenvolvimento dos elevadores, que por sua vez, tem origem nas fábricas inglesas do

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta