Plano Agache

Plano Agache

O primeiro governante a dotar o então Distrito Federal de um plano diretor foi um paulista: Antônio Prado Júnior, que comandou o Rio de Janeiro de 16 de novembro de 1926 e 24 de outubro de 1930/ Além de abrir novas ruas, calçar muitas delas e investir em escolas e saneamento, este amigo do presidente Washington Luís, que não tinha curso superior, contratou o urbanista francês Alfred Agache para desenvolver o Plano de Remodelação, Extensão e Embelezamento da Cidade.
O chamado Plano Agache tinha a ambição de organizar o crescimento do Rio, determinando áreas de expansão, prevendo a criação de redes de serviço e tratando da instalação da infra-estrutura urbana.
O trabalho de Agache jamais foi inteiramente aplicado, mas serviu de base para outros planos diretores. Ao propor a contratação do francês, o prefeito assim justificou a proposta: “Julgo escusado encarecer a necessidade urgente da organização do plano de remodelação do Rio de Janeiro, segundo os princípios desta ciência moderna que é o urbanismo”.


Artigos relacionados

Arquiteturas: Minhocão

episódio de estreia da série do SescTV

Veja aqui todos os episódios da 2ª temporada da série Arquiteturas, do SescTV

Série aborda obras e processos de ocupação de destaque em vários locais do país

Para que serve um Plano Diretor?

O Plano Diretor é um documento regulamentador do planejamento e ordenamento do território de um dado município. Neste documento está definida a organização municipal do território, onde se estabelece a referenciação espacial dos usos e actividades do solo municipal através

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Seu e-mail nâo será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados*