Plano Agache

Plano Agache

O primeiro governante a dotar o então Distrito Federal de um plano diretor foi um paulista: Antônio Prado Júnior, que comandou o Rio de Janeiro de 16 de novembro de 1926 e 24 de outubro de 1930/ Além de abrir novas ruas, calçar muitas delas e investir em escolas e saneamento, este amigo do presidente Washington Luís, que não tinha curso superior, contratou o urbanista francês Alfred Agache para desenvolver o Plano de Remodelação, Extensão e Embelezamento da Cidade.
O chamado Plano Agache tinha a ambição de organizar o crescimento do Rio, determinando áreas de expansão, prevendo a criação de redes de serviço e tratando da instalação da infra-estrutura urbana.
O trabalho de Agache jamais foi inteiramente aplicado, mas serviu de base para outros planos diretores. Ao propor a contratação do francês, o prefeito assim justificou a proposta: “Julgo escusado encarecer a necessidade urgente da organização do plano de remodelação do Rio de Janeiro, segundo os princípios desta ciência moderna que é o urbanismo”.


Artigos relacionados

Prefeitura de São Paulo planeja retirar mosaicos portugueses de calçadões

As pedras devem ser substituídas por concreto a partir de janeiro. A justificativa da prefeitura é de que o novo piso facilita a acessibilidade e tem menor custo de manutenção – cerca de 6 vezes mais barato. De acordo com

Hidroanel de São Paulo, um outro rumo para a cidade

O projeto do Hidroanel de São Paulo, previsto para 2040, pode mudar radicalmente a dinâmica da cidade e a relação dos cidadãos com os rios.

Le Corbusier

Charles Edouard Jeanneret-Gris foi um arquiteto e pintor franco-suiço que se tornou uma das figuras mais importantes da arquitetura no século XX. Influenciou toda uma geração de arquitetos brasileiros.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta