Plenário do CAU/BR manifesta solidariedade à população de Moçambique

O Plenário do CAU/BR aprovou mensagem de condolências e de solidariedade à Embaixada de Moçambique e à Associação de Arquitectos de Moçambique, país recém devastado pelo ciclone  Idai.

A aprovação ocorreu na 88a. Reunião Plenária realizada em Brasília em 29 de março de 2019, a partir de proposta da Comissão de Relações Internacionais (CRI).

O país foi a região mais atingida pelo Ciclone Idai, assim como os países de Zimbábue e Malawi. A passagem do ciclone, no dia 14 de março, e os eventos consequentes ao desastre natural afetaram cerca de 1,85 milhão de pessoas e deixaram mais de 460 mortos nesse país, onde, além de doenças, os moradores da região ainda enfrentam escassez de alimentos, água e outros itens essenciais.

 

Mais de 1,85 milhão de pessoas foram afetadas pelo Ciclone Idai, que deixou mais de 460 mortos em Moçambique. Foto: AFP/Getty Images

 

Em solidariedade aos colegas arquitetos e urbanistas de Moçambique, assim como à população geral do país, o CAU/BR manifesta apoio e disponibilidade aos colegas para ações de reconstrução de seu território.

Essa manifestação concretiza os ideias da Nova Agenda Urbana, documento que resultou da Habitat III, a Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável, em que são visualizadas cidades e assentamentos humanos que “adotem e implementem a redução e gestão de risco de desastres, reduzam a vulnerabilidade, construam resiliência e capacidade de resposta a perigos naturais e gerados pelo homem, e promovam a mitigação e a adaptação à alteração climática. “

Segundo memorando proposto pela Comissão de Relações Internacionais do CAU/BR durante a 88ª Plenária Ordinária e assinado pelo Colegiado de Entidades de Arquitetos e Urbanistas do Brasil (CEAU) em nome das entidades, “ao aderir à Nova Agenda Urbana, nos comprometemos a promover a gestão e redução de risco de desastres, sejam naturais ou provocados pelo homem, enquanto se promove o desenvolvimento econômico sustentável e o bem-estar e a qualidade de vida de todas as pessoas, por meio de um planejamento urbano e territorial, infraestrutura e serviços básicos ambientalmente corretos.”

 


Artigos relacionados

Lina Bo Bardi e Tarsila do Amaral no MASP em 2019

O tema “Histórias das mulheres, histórias feministas” será pauta do programa de exposições do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand em 2019. Já estão confirmadas seis monográficas de artistas mulheres – Djanira da Motta e Silva, Tarsila do

Prefeitura de São Paulo engaveta projeto de Paulo Mendes da Rocha no Ibirapuera

Vencedor em 2006 do Pritzker Prize, espécie de Nobel da arquitetura, Mendes da Rocha, hoje com 89 anos, foi contratado em 2015 pela gestão Haddad para dar uma “nova cara” ao parque, com a revitalização do Pavilhão Lucas Nogueira Garcez,

Abertas as inscrições para o 27º Congresso Mundial dos Arquitetos

Estão abertas as inscrições para 27º Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos (UIA), maior evento da arquitetura mundial, que será realizado pela primeira vez no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, em 2020. Com o tema “Todos os

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta