Praça dos Três Poderes

Praça dos Três Poderes

A Praça dos Três Poderes foi projetada por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa. Lá estão o Palácio do Itamaraty, o Palácio do Planalto, o Palácio da Justiça, o Supremo Tribunal Federal, o Congresso Nacional, o Panteão da Liberdade e Democracia e o Espaço Lúcio Costa.
No prédio do Congresso Nacional, destacam-se as duas conchas, uma côncava – a do Senado Federal – e a outra convexa – a da Câmara dos Deputados – simbolizam o poder e a relação de contrapesos implícita no sistema bicameral.

O conjunto se completa com dois prédios verticais, na forma da letra H, onde funciona a parte administrativa das duas casas legislativas.

O Palácio do Planalto é a sede do Poder Executivo e abriga o gabinete do presidente da República e a sede administrativa presidencial.

O Supremo Tribunal Federal, sede do Poder Judiciário, que parece flutuar, compõe-se de três pavimentos. No primeiro, há duas entradas: a principal para receber convidados e o público em geral e, no lado oposto, a privativa, para ministros e funcionários da casa.



Artigos relacionados

Plano Piloto de Brasília

A nova capital foi projetada com um modelo urbanístico inovador. Seu plano piloto adota os preceitos da famosa Carta de Atenas, de 1933. O documento redigido pelo arquiteto franco-suíço Le Corbusier propunha um zoneamento seletivo, com uma divisão de áreas segundo quatro funções: habitar, trabalhar, circular e recrear.

Hospital Sarah Kubitschek

O Hospital do Aparelho Locomotor Sarah Kubitschek de Salvador faz parte da Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, cujo objetivo central é construir hospitais públicos de qualidade dedicados à pesquisa e à recuperação de pacientes da área do aparelho locomotor

Rosa Artigas: Entre a preservação do patrimônio urbano e o IPTU da cidade de São Paulo

Artigo da historiadora Rosa Artigas sobre a difícil situação de preservar as obras do pai e pagar altos impostos à Prefeitura.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta