Prefeitura de São Paulo estuda projeto do ‘Minhocão’ com parque, ‘praia’ e restaurantes

O Prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), avalia um projeto de transformação do elevado João Goulart, conhecido popularmente como ‘Minhocão’. A proposta, de autoria do arquiteto e urbanista Jaime Lerner, faz parte do plano de revitalização do centro da capital. A participação do profissional foi financiada pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP).

Lerner, que atuou como prefeito de Curitiba três vezes, liderou uma revolução urbana na cidade sulista e a tornou referência em planejamento, principalmente em relação ao transporte, meio ambiente, programas sociais e projetos urbanísticos.

Inspirado no parque High Line, em Nova York, o novo projeto prevê arborizar as laterais da via, que conta com mais de 3 quilômetros de extensão. O acesso ao ‘Parque Minhocão -como foi batizado- se daria por meio da construção de escadas e elevadores, além de uma ciclovia.

A proposta também inclui restaurantes e até mesmo uma “praia” no elevado – com piscina e ‘bolsões’ de areia. Por fim, a parte inferior do Minhocão seria utilizada para a construção de salas que comportassem eventos e exposições culturais.

O projeto ainda precisa passar por uma série de avaliações, incluindo a análise de técnicos da Secretaria Municipal de Transporte, para analisar os impactos que seriam gerados no entorno.



Artigos relacionados

Sindicato faz campanha para valorizar o jovem arquiteto

Lista de orientações do Sindicato dos Arquitetos do Rio Grande do Sul para valorizar o arquiteto em início de carreira.

Código de Ética e Disciplina do CAU/BR – 2.2.7

A diretriz 2.2.7 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR estabelece os três pilares básicos da boa arquitetura.

O uso de fachadas ativas na revitalização das áreas centrais por Garibaldi Rizzo

Fachadas ativas como elemento importante para a dinamização dos espaços públicos.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta