Região Metropolitana de São Paulo

Região Metropolitana de São Paulo

A Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) é o maior pólo de riqueza nacional.   O decreto que institucionalizou o Sistema de Planejamento e Administração Metropolitana – Spam tem 37 anos. Mas como seus organismos não foram adaptados às regras das novas constituições federal e estadual, os organismos metropolitanos não funcionam plenamente. Tramita na Assembléia Legislativa um projeto para regulamentar a região que tem 39 municípios.

Originalmente, a coordenação das ações que interferem na vida desses municípios deveria ser feita por dois conselhos:

  • Conselho Consultivo Metropolitano de Desenvolvimento Integrado – Consulti
  • Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande São Paulo – Codegran

Na máquina estadual, as ações são responsabilidade da Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos – SNM, como unidade coordenadora e operadora, tendo três braços operacionais:

  • Empresa Paulista de Planejamento – Emplasa (que ultrapassa os limites da RMSP)
  • Fundo Metropolitano de Financiamento e Investimento – Fumefi
  • Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S.A. – EMTU.

Artigos relacionados

Estatuto da Cidade

Foto do acervo Imagens USP O Estatuto da Cidade, definido pela lei federal 10.257, de 10 de julho de 2001 estabelece premissas importantes para a gestão urbana: Em todas as decisões tomadas para o futuro da cidade, o interesse do coletivo

Grandes metrópoles, um território desafiador para arquitetos e urbanistas

A metropolização da vida humana é um processo irreversível. Apesar de todos os problemas, as grandes cidades continuam a atrair gente, negócios, talentos e novas construções. Muitas delas já deixaram de crescer vertiginosamente, mas não sem antes alcançarem a casa

São Paulo

Se fosse um país independente, a cidade de São Paulo seria a quinta maior economia da América do Sul, atrás somente de Brasil, Argentina, Colômbia e Venezuela, e superando a riqueza de Paraguai, Uruguai, Equador e Bolívia juntos, em razão

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta