Rio de Janeiro é consagrado pela UNESCO como a primeira capital mundial da arquitetura

O título foi concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na manhã da sexta, 18 de janeiro, em cerimônia realizada na sede da entidade em Paris e é decorrente da realização do Congresso Mundial de Arquitetos no Rio em 2020. É a primeira vez que uma cidade recebe essa designação – criada no ano passado em parceria entre a UNESCO e a União Internacional dos Arquitetos (UIA). A cerimônia reuniu o subdiretor de Cultura da UNESCO, Ernesto Ottone; a Secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio, Verena Andreatta; o presidente da UIA Thomas Vonier, além do presidente do Comitê Executivo do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio, Sérgio Magalhães, e do presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, Nivaldo Andrade.

“Capital Mundial da Arquitetura e Congresso Mundial de Arquitetos formam um binômio de extrema importância para a cidade do Rio e para a cultura arquitetônica brasileira. Especialmente porque proporciona um diálogo com a sociedade que deverá criar um novo tempo para o enfrentamento dos desafios das nossas cidades”, afirma o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães.

“Grandes momentos não ocorrem todo o tempo, esse é um deles”, declara o arquiteto e urbanista Luciano Guimarães, presidente do CAU/BR.  “A consagração, ao aliar o ambiente construído e a beleza natural da cidade do Rio de Janeiro, é um reconhecimento do fundamental papel dos arquitetos e urbanistas na qualificação de nossas cidades”. Ele lembra que faz um bom tempo que a UIA busca junto com a UNESCO aprovar para a cidade que hospeda o Congresso Mundial de Arquitetos a cidade como Capital Mundial da Arquitetura. “O sonho hoje é uma realidade e para nossa sorte o Rio de Janeiro – Rio 2020 será a sede da primeira. Nossas congratulações e agradecimentos vão para essas pessoas que estiveram envolvidas no sucesso desse processo a nível nacional e internacional, em particular aqui no Brasil ao IAB e a Prefeitura do Rio de Janeiro”.

 

Da esquerda para direita: Anibal Sabrosa, ex-presidente da Associação dos Escritórios de Arquitetura do Brasil (Asbea) no Rio; Nivaldo Andrade, presidente do IAB; Vereana Andreatta, secretária Municipal de Urbanismo; Fabian Llisterri, tesoureiro da União Internacional de Arquitetos (UIA); Thomas Vournier, presidente da UIA; e Sergio Magalhães, presidente do 27° Congresso da UIA 2020 – Foto: Fernando Thompson/Prefeitura do Rio

 

A conquista do título não aconteceu à toa. Cidade de grande diversidade urbanística, o Rio tem em seu território situações comuns tanto em grandes centros urbanos de países ricos como em desenvolvimento, o que a torna um caso quase único de interesse para os arquitetos do mundo todo.

“Apesar de relativamente nova, a cidade do Rio já deixou valiosas referências na história da arquitetura. Ao longo de seus poucos séculos, passou por transformações substanciais, de grande magnitude, com técnicas complexas da engenharia e do urbanismo contemporâneos. Poucas cidades tiveram alteração tão expressiva em sua topografia original. Temos uma mescla eclética de estilos arquitetônicos e paisagem urbana reverenciada pelo mundo por suas condições naturais. O título de Capital Mundial da Arquitetura é a justa condecoração desta história”, defende a arquiteta  urbanista Verena Andreatta, Secretária de Urbanismo da cidade.

 

 

O texto na íntegra você acompanha na página do CAU/BR



Artigos relacionados

Arquiteturas: Ribeira

O bairro do Ribeira, na zona portuária de Natal, tem uma extensa história de boemia e vida noturna. Seu auge foi durante a Segunda Guerra, devido à forte presença de soldados americanos. Com a decadência industrial e a mudança do

Galeria do Rock

A Galeria do Rock tem mais de cinco décadas se transformando junto com a cidade.

Capela Santa Luzia

Suspensa a 31 metros do chão, a capela Santa Luzia, obra tombada como patrimônio cultural de São Paulo, tem quase cem anos de funcionamento. Sua suspensão se dá por meio de oito pilares, quatro de cada lado da estrutura.  

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta