Rio de Janeiro será primeira Capital Mundial da Arquitetura

Rio de Janeiro será primeira Capital Mundial da Arquitetura

O Conselho da União Internacional dos Arquitetos (UIA), reunido em Oaxaca (México), aprovou nesta sexta-feira, 18 de maio, por unanimidade, a nomeação da cidade do Rio de Janeiro a Capital Mundial da Arquitetura UIA/UNESCO 2020. A obtenção do título faz parte do programa proposto pela Prefeitura do Rio, com apoio do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB),  para 2020, quando a capital fluminense sediará o 27º Congresso Mundial de Arquitetos. Cabe à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) agora fazer a designação formal do título, conforme contrato firmado com a UIA. O Rio é a primeira cidade a receber o título – a próxima deverá ser Copenhagen, na Dinamarca, sede do 28º Congresso Mundial de Arquitetos.

A designação do Rio como Capital Mundial da Arquitetura UIA/Unesco 2020 é não só um reconhecimento pelo passado arquitetônico, histórico e cultural, mas uma oportunidade de reflexão e proposição de futuro da arquitetura, do paisagismo, do urbanismo e, consequentemente, das cidades. Para o presidente do Comitê Executivo do UIA2020RIO, Sérgio Magalhães, o principal legado para a cidade, com o programa do Rio Capital Mundial da Arquitetura UIA/Unesco, será voltar o olhar das autoridades públicas e da sociedade para os atuais desafios urbanos, em busca da construção de cidades mais justas, inclusivas e sustentáveis.
“O programa do Rio Capital Mundial da Arquitetura UIA/UNESCO 2020 pressupõe uma ampla reflexão sobre a questão arquitetônica-urbanística, com a identificação de metas que possam ser traçadas para os marcos de 2025 e 2030, tanto para a cidade do Rio de Janeiro como para o sistema urbano do país como um todo, articuladas com as metas da Unesco e da ONU”, afirmou Magalhães.
Na opinião de Luciano Guimarães, presidente do CAU/BR, “a nomeação do Rio de Janeiro como Capital Mundial da Arquitetura, feito inédito, deve ser celebrada, antes de mais nada, como uma homenagem à cultura brasileira, moldada a partir do talento de profissionais das mais diversas áreas do conhecimento. Para os arquitetos e urbanistas brasileiros significa a oportunidade de reafirmar internacionalmente o valor de seu trabalho em benefício de um habitat mais inclusivo, ressaltando não apenas as obras icônicas que nos dão orgulho, mas também a preocupação histórica e os recentes trabalhos no campo da Arquitetura Social, com destaque especial para os jovens arquitetos”.
A adesão do Conselho da UIA à proposta apresentada pelo Rio de Janeiro foi comemorada pelo presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Nivaldo Andrade, e pela secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio, Verena Andreatta, que estão em Oaxaca, onde ocorreu a reunião da entidade internacional de arquitetura.
“Fico feliz e emocionada com a repercussão do trabalho que realizamos junto com o IAB. A estratégia de apresentar já a proposta de programa do Rio Capital Mundial da Arquitetura UIA/UNESCO impressionou a todos. Demonstramos que a cidade, com sua arquitetura diversificada, tem total capacidade de realizar grandes eventos”, comemorou Verena. O presidente do IAB destacou a parceria da Prefeitura do Rio na campanha. “O apoio da administração municipal foi importante para a indicação da UIA. Temos certeza que o Rio não só está preparado para receber evento dessa magnitude, mas que vai criar uma referência para as próximas edições, uma vez que a programação inicia com o réveillon, que terá como tema ‘Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21’, o mesmo do programa Rio Capital Mundial da Arquitetura e do congresso mundial que vamos sediar. Será uma visibilidade única”, destacou Nivaldo Andrade.
A matéria completa você confere na página do CAU/BR


Artigos relacionados

Iphan barra proposta de reconstrução do Eixão Sul

O projeto apresentado pelo Departamento de Estradas de Rodagem do DF para a reconstrução do trecho do Eixão Sul que desabou em fevereiro deste ano foi barrado pela Superintendência do Iphan no Distrito Federal. A justificativa do órgão responsável pelo

Candeia Jornalismo: Implicações da desativação do Minhocão – Entrevista com João Whitaker

Construído na década de 70 como ‘solução’ para o sistema viário da região, o Elevado Costa e Silva (Minhocão) está com os dias contatos como via de tráfego.

Prefeito João Doria quer mudar lei de zoneamento nos bairros de São Paulo

São Paulo – Com o argumento de que é preciso adaptar as regras à realidade da cidade e incentivar a construção de novas moradias, a gestão do prefeito João Doria (PSDB) apresentou um projeto de “ajustes” na Lei de Zoneamento

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta