Sesc Pompeia é o 6º melhor prédio em concreto do mundo

Sesc Pompeia é o 6º melhor prédio em concreto do mundo

O jornal inglês The Guardian publicou uma lista dos dez melhores prédios em concreto do mundo. Entre eles está uma obra da arquiteta Lina Bo Bardi, o Sesc Pompeia. Ao lado de Gaudí e Le Corbusier, o edifício ficou com o sexto lugar. Lina Bo Bardi consagrou-se em obras em concreto, como também o MASP, na Avenida Paulista. O texto elogia o formato das janelas, os espelhos d’água internos e a circulação dinâmica por pontes entre os prédios. O conjunto é apelidado de “Cidadela da Liberdade”. Veja abaixo como ficou o ranking, de acordo com o jornal britânico:

1. Panteão de Roma – (possivelmente por Apolodoro de Damasco)
2. Unité d’habitation de Marselha – Le Corbusier
3. Restaurante Los Manantiales, Cidade do México – Félix Candela
4. Banco de Londres em Buenos Aires – Clorindo Testa
5. Saint-Jean-de-Montmartre, de Paris –Anatole de Baudot
6. Sesc Pompeia, de São Paulo – Lina Bo Bardi
7. Pavilhão de Portugal, Lisboa – Álvaro Siza
8. Biblioteca da Escola Técnica de Eberswalde, Alemanha – Herzog e de Meuron
9. Pedrera, Barcelona – Antoni Gaudí
10. Poli House, Chile – Pezo von Ellrichshausen



Artigos relacionados

Jovens professores: MMBB

O MMBB Arquitetos é um escritório fundado em 1990 pelos arquitetos Marta Moreira, Milton Braga e Fernando de Mello Franco, sendo ambos formados pela FAU-USP. Ainda envolvidos na vida acadêmica, atuando como professores na Escola da Cidade, na FAU-USP, na

ONU Habitat premia brasileira por projeto em Florianópolis

A arquiteta recém-formada pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Mariana Morais Luiz, de 23 anos, venceu o prêmio Urban Revitalization of Mass Housing, pela categoria regional América Latina e Caribe.

João Batista Vilanova Artigas

Vilanova Artigas foi um expoente da chamada Escola Paulista de arquitetura moderna. Ele lecionou e reformulou o curso de arquitetura da da FAU – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, prédio que ele mesmo projetou, transformando a própria estrutura do espaço acadêmico em uma aula de arquitetura.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Seu e-mail nâo será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados*