Severiano Mário Porto

Severiano Mário Porto

Mineiro de Uberlândia (1928), Severiano Mario Porto formou-se em Arquitetura na Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil, atual UFRJ. Tinha 37 anos quando foi para Manaus. Naquela época, 1965, a Amazônia ainda tinha poucas obras de porte e ele foi um dos primeiros profissionais a implantar ali novos padrões de projeto, métodos construtivos e materiais adequados à região.
Seu primeiro projeto na região, nunca foi executado – uma nova sede para a Assembléia Legislativa do Estado. Pouco depois, construir uma escola toda de madeira, enfrentando resistência por parte da burocracia, que via no material, “uma coisa de pobre”, segundo o próprio Severiano.
Severiano e sua família foram morar numa casa de madeira junto a um igarapé, como vivem os ribeirinhos e esse contato íntimo com a região o levou a compreender melhor a arquitetura que poderia realizar na Amazônia.
Seu trabalho foi reconhecido nacional e ele recebeu vários prêmios. O Estádio Vivaldo Lima, recentemente substituído por uma moderna “Arena” foi agraciado com “Menção Honrosa” na terceira premiação anual do Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB.
Dois anos mais tarde, em 1967, foi premiado pelo Restaurante Chapéu de Palha, em que utilizou materiais abundantes na região, como madeira e palha e segundo a IAB, conseguiu um bom resultado “pela simplicidade bem sugere as origens e tradições locais”.
Em 1971, a própria residência de Mario Porto lhe assegurou outro prêmio do IAB, pela “excelente proposta do autor, coerente, elaborada com vocabulário brasileiro, com uso adequado dos materiais, respeitando o meio ambiente, sem se alienar da técnica contemporânea”.



Artigos relacionados

Conjunto da Pampulha é declarado Patrimônio Mundial da Humanidade

O Conjunto Arquitetônico da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer, foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO

Burle Marx

Roberto Burle Marx, um expoente do paisagismo no Brasil, estudou pintura em Berlim, na Alemanha, no final dos anos 1920. Ele introduz o uso de plantas nativas para composição dos jardins e cria os primeiros projetos de terraços com uma aura especificamente brasileira.

Única residência desenhada por Zaha Hadid é construída na Rússia

A casa, encomendada pelo russo Vladislav Doronin, foi batizada como Capital Hill Residence. O projeto, de 2.650 metros quadrados, é organizado em quatro níveis, com os dois pavimentos mais baixos que abrigam a sala de estar, sala de jantar, cozinha,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta