Telhado do Museu da Língua Portuguesa é reconstruído

Telhado do Museu da Língua Portuguesa é reconstruído

A obra de reconstrução do telhado, localizado no interior da Estação da Luz, no centro de São Paulo, foi finalizada no dia 18 de julho. O nova estrutura pesa cerca de 4 toneladas e é composta por mais de 89 mil quilos de madeira – certificada da Amazônia – e zinco, importado do Peru.

O projeto de restauro levou quase dois meses para ficar pronto. Além da reconstrução do telhado, foram concluídos o restauro da fachada e das esquadrias e as ações de conservação da ala oeste do Museu.

O edifício foi atingido por um incêndio em dezembro de 2015. Felizmente não sofreu com perdas materiais, porque todo o acervo era virtual. Contudo, segue com as portas fechadas desde o ocorrido. A previsão é de que o prédio seja reaberto no segundo semestre de 2019.

A reconstrução do museu custará em torno de R$60 milhões, parte paga pelo seguro contra incêndio, e parte captada por meio da Lei Rouanet. O espaço será mantido nos conformes, porém com pequenas alterações que visam fazer menção ao evento que destruiu parte do prédio – da mesma maneira que foi feita com o Auditório Simón Bolívar, também destruído por um incêndio.

 

Fontes: Estadão, G1

 



Artigos relacionados

Empresa alemã é a primeira a desenvolver elevador sem cabos

A empresa ThyssenKrupp conseguiu desenvolver uma tecnologia que permite a mobilidade do elevador Multi  na horizontal e na vertical, sem a necessidade de cabos. O projeto foi inspirado nas invenções de “Willy Wonka”, do filme A Fantástica Fábrica de Chocolate.

Lina Bo Bardi e Tarsila do Amaral no MASP em 2019

O tema “Histórias das mulheres, histórias feministas” será pauta do programa de exposições do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand em 2019. Já estão confirmadas seis monográficas de artistas mulheres – Djanira da Motta e Silva, Tarsila do

Filme “EstereoEnsaios São Paulo”: um registro poético da metrópole em 3D

EstereoEnsaios São Paulo é um filme-ensaio que revive o espírito dos filmes “Sinfonia de Cidades” da era silenciosa, no contexto estereográfico digital do século XXI. O filme foi composto como sinfonia musical com o intuito de dialogar com o filme São Paulo,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta