Time Space Existence

Time Space Existence

Durante a 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza, que será inaugurada no sábado, 26 de maio e ocorrerá até o domingo, 25 de novembro de 2018, o Centro Cultural Europeu vai apresentar o Time Space Existence, no Palazzo Mora, Palazzo Bembo e Giardini Marinaressa.

Serão enaltecidas questões fundamentais, com questionamentos a respeito de conceitos filosóficos quanto ao tempo, ao espaço e a existência. O evento será regido por um grupo internacional de arquitetos e fotógrafos de arquitetura, com diferentes bagagens culturais e que estão em diferentes fases em suas carreiras.  

Combinando pensamentos e discursos culturais diferentes, essa exibição visa ampliar a consciência sobre nossa própria existência como seres humanos dentro de um espaço e tempo específico.

Estarão presentes arquitetos de seis continentes. Entre eles Kengo Kuma, Tatiana Bilbao, Arata Isozaki e Richard Meier e Fumihiko Makii.  

Makii é conhecido por suas experimentações com materiais e por buscar a fusão das culturas oriental e ocidental. Ao invés de se concentrar em criar coisas que nunca foram vistas ou feitas antes, Maki conta que sua equipe se concentra no comportamento humano: o que os usuários podem gostar ou não gostar. Mais especificamente, Maki discute a semelhança e as diferenças entre o comportamento das crianças em todas as culturas e como elas podem informar o projeto.



Artigos relacionados

Nova lei de licitações, piorando o que já é péssimo por Raquel Rolnik

Raquel Rolnik fala sobre as desvantagens da nova lei de licitações para o planejamento urbano.

Avenida Paulista é considerada pólo cultural em são Paulo

Ao longos dos 126 anos de existência foram construídas casas, escritórios, lojas, parques, restaurantes, estações de metrô, ciclovias, centros de serviço e comércio, etc. Hoje, a Avenida Paulista, localizada no centro da capital paulista, atingiu a categoria de polo cultural.

Filme “EstereoEnsaios São Paulo”: um registro poético da metrópole em 3D

EstereoEnsaios São Paulo é um filme-ensaio que revive o espírito dos filmes “Sinfonia de Cidades” da era silenciosa, no contexto estereográfico digital do século XXI. O filme foi composto como sinfonia musical com o intuito de dialogar com o filme São Paulo,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta