UIA2020RIO: Roberto Simon

UIA2020RIO: Roberto Simon

Com o tema Todos os Mundos. Um só mundo. Uo maior e mais importante de arquitetura, o Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos chega a sua 27ª edição. O evento, que será realizado no Rio de Janeiro, em 2020, tem foco na realidade dos centros urbanos. O objetivo é trazer as Américas do Sul, Central e Caribe e suas diferentes realidades para o centro das discussões.

Quem afirma é o arquiteto e urbanista Roberto Simon, vice-presidente da UIA para as Américas.Carioca que escolheu o Sul para morar e exercer sua atividade profissional, Simon sempre participou ativamente das associações de classe: presidiu o Departamento de Santa Catarina do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), esteve entre os primeiros conselheiros federais do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR), participou por diversas vezes do Conselho da UIA.

Confira a entrevista dele para o site do UIA2020RIO:

–  Faltam exatamente dois anos para a realização do UIA2020. Qual a melhor forma de aproveitar esses últimos dois anos de preparação para o Congresso?

“O tempo, mais e mais, parece voar em velocidade diferente do século passado. Então, independentemente de demandar muito trabalho da equipe designada e engajada na montagem desse imenso trabalho, certamente ensejará eventos intermediários que ajudem em sua construção e a manutenção da discussão viva até sua chegada em 2020”.

 

– O Congresso da UIA está voltando para as Américas depois de 27 anos e para a América Latina depois de 42 anos. Qual a importância para a região de sediar novamente um Congresso Mundial?

“A América do Sul, Central e Caribe têm estado fora do epicentro das discussões de grande alcance por longos anos, discussões reservadas normalmente aos grandes fóruns (Congressos). Esses realizados com predominância na Ásia, Europa e mesmo América do Norte acabam voltados para realidades completamente diferentes. Mesmo dentro de nosso continente é importante que haja um balanceamento nas zonas de interesse específicas. É importante destacar que essas regiões encontram-se muito prontas enquanto que na nossa ainda há muito por fazer”.

 

– Caso a UNESCO chancele, o UIA2020 será o primeiro Congresso Mundial de Arquitetos realizado numa Capital Mundial da Arquitetura. De que forma a cidade pode se beneficiar de mais esse título mundial?

“Certamente a chancela da UNESCO à cidade e ao congresso, respectivamente, elevam a cidade a outra dimensão e por maior tempo. É certo de que conexões importantes deverão ocorrer a partir dessa decisão, cito como exemplo o link que deverá ocorrer entre o Fórum Mundial Social, COP, Fórum Mundial Econômico, Docomomo, Habitat… Ou seja, diferentes áreas estarão conectadas à arquitetura, ao urbanismo e à sociedade”.

 

Fonte: UIA2020RIO



Artigos relacionados

Parque Urbano Internacional da Paz terá parceria do Sistema ONU no Brasil

Brasília ganhará a Praça e o Parque Urbano Internacional da Paz. A decisão foi anunciada em evento na Casa da ONU nesta segunda-feira (18), com a assinatura de um decreto pelo governador Rodrigo Rollemberg. A iniciativa é uma parceria do

Prefeitura de São Paulo engaveta projeto de Paulo Mendes da Rocha no Ibirapuera

Vencedor em 2006 do Pritzker Prize, espécie de Nobel da arquitetura, Mendes da Rocha, hoje com 89 anos, foi contratado em 2015 pela gestão Haddad para dar uma “nova cara” ao parque, com a revitalização do Pavilhão Lucas Nogueira Garcez,

MOSTRA LE CORBUSIER

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, inaugura no dia 16 de junho, sábado, às 14h00, a exposição ‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’. Com curadoria de Pierre Colnet e

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta