João Batista Vilanova Artigas

João Batista Vilanova Artigas

O paranaense João Batista Vilanova Artigas foi um dos arquitetos brasileiros mais importantes do século XX. Radicado em São Paulo, foi fundador e professor universitário da FAU – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, escola cujo prédio ele mesmo projetou. Seu estilo é característico da assim chamada escola paulista ou escola brutalista de São Paulo, dentro do modernismo. Nasceu em Curitiba, em 1915 e se formou na Escola Politécnica da USP.

Conhecido por sua atuação política de esquerda e associação com o Partido Comunista Brasileiro, foi demitido da FAU em 1969 na esteira do AI-5 e exilou-se no Uruguai. Foi responsável pela reestruturação da grade curricular do curso de arquitetura no início dos anos 60, mas essas diretrizes foram abandonas assim que a ditadura se instalou. Artigas voltou ao Brasil pouco tempo depois, mas só retornou à FAU depois da anistia e na condição secundária de professor auxiliar.

Artigas, que morreu em 1985, projetou sua própria casa, aqui visitada por Sérgio Roizenblit e Paulo Markun para o episódio Casa de Arquiteto da série Habitar/Habitat, do SESCTV. Conheça:



Artigos relacionados

Superquadras

Inaugurada há cinquenta anos, Brasília marca, entre outras coisas, o desejo de propor uma nova sociabilidade urbana, que tem na escada residencial o seu desenvolvimento mais radical, as superquadras como unidade básica de um bairro.

Pilotis

Típicos da arquitetura modernista brasileira, os pilotis foram essenciais para a aplicação dos valores dessa escola. Uma marca dessa escola é o vão livre no térreo, o qual não seria possível sem a sustentação dos edifícios através de pilotis.

Favela: Cláudio Batista

Cláudio Batista mora na favela desde a década de 50. Sua monografia na faculdade foi sobre a tradição dos mutirões em Chapéu Mangueira. Ele acompanhou todo o crescimento da comunidade, e sua casa hoje está dividida em 4, entre ele,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Seu e-mail nâo será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados*