2ª edição da Mostra de Filmes de Arquitetura

Com o tema “Memórias em Construção”, o evento acontecerá de 8 a 12 de outubro de 2019 no Setor Comercial Sul, no Cine Drive-in (onde ocorrerá a abertura), e nos Institutos Federais do Recanto das Emas e Samambaia. Além da exibição de filmes, serão realizados painéis temáticos, palestras com pesquisadores brasileiros e estrangeiros, e intervenção artística em espaço público, tudo com entrada franca.

Dos mais de 500 filmes inscritos, de 55 países sendo quase 100 nacionais, ficou a cargo da curadoria a escolha dos 57 longas e curtas-metragens (lista abaixo) a serem exibidos. “A quantidade e a qualidade surpreenderam os curadores e demonstram o interesse nessa interface entre arquitetura e cinema”, aponta Liz Sandoval, diretora artística da mostra.

 

 

Serão apresentados, entre convidados e selecionados, documentários, ficções e experimentais que tratam da vida nas cidades em suas diferentes escalas e complexidades. Os selecionados participarão de sessões com caráter competitivo e os vencedores serão anunciados no encerramento.

À pauta do Cinema Urbana, estará o debate sobre valorização da memória na construção de uma identidade coletiva e que estimule a preservação do patrimônio [arquitetônico e cultural] e da cidadania. Com isso, e após análise do material recebido, a organização chegou a quatro painéis temáticos de debates, sendo: Esquecimentos e afloramentos das ruínas nas cidades, Im/Ex-pressões do corpo urbano, Memórias que se constroem para lembrar ou para exibir; e Deslocamento e pertencimento, no vazio ou no caos.

Concomitante aos debates, acontecem apresentações de 25 trabalhos, entre acadêmicos e projetos de arquitetura, dos mais de 50 submetidos à seleção de um comité científico formado por professores-pesquisadores da UnB, UFRJ, UFRB e da FAUP (Universidade do Porto, em Portugal). A intenção é “ampliar o acesso ao saber arquitetônico e urbanístico, usualmente tão restrito às salas de aulas”, explica Liz.

A escolha do Setor Comercial Sul, como área para a realização das principais atividades da programação, além de emprestar ao projeto uma identidade singular, “se deu por potencializar a reflexão sobre a cidade, ao possibilitar diferentes propostas e vivências da urbanidade brasiliense”, ressalta Liz. O Museu Correios, a Casa de Cultura da América Latina (CAL/UnB) e a Galeria Principal do Setor Comercial Sul são os espaços a serem ocupados.

A seleção dos filmes do Cinema Urbana 2019 será oficialmente anunciada em evento organizado pelo projeto em parceria com o Instituto Federal de Brasília e o Museu Vivo da Memória Candanga dia 16 de agosto, sexta-feira, quando se comemora o Dia Nacional do Patrimônio Histórico. Com o nome “Brasília Patrimônio Vivo”, o evento acontece no Museu Vivo da Memória Candanga, das 8h às 12h, estando marcada para às 11h a exibição dos filmes “Brasília Ano 10”, de Geraldo Sobral Rocha, e “O homem que não cabia em Brasília”, de Gustavo Menezes, coroando o lançamento do Cinema Urbana.

O cinema nasceu junto com Brasília, que foi filmada desde antes de sua inauguração. Nomes importantes do cinema nacional conviveram com importantes nomes das artes e da arquitetura: a cidade tem um curso de cinema pioneiro, e as mudanças que aconteceram na capital foram e continuam sendo documentadas pelos numerosos realizadores. Em mostras e Festivais, é possível acompanhar a produção local e verificar a pluralidade de paisagens que traduz a diversidade do território, na questão das paisagens periféricas, culturais, afetivas, que registram Brasília além do Plano Piloto e de sua arquitetura.

 

Texto do Jornal de Brasília



Artigos relacionados

Brasília completa 30 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade

Patrimônio Cultural da Humanidade há trinta anos, há quem diga que Brasília seja um tesouro urbanístico desde a concepção, quando ainda era um apenas um projeto de capital idealizado por Lucio Costa. Nesta semana, a cidade comemorou o título que

MASP celebra 50 anos com série de palestras gratuitas

Um dos edifícios mais conhecidos da Avenida Paulista, construído pela arquiteta Lina Bo Bardi, celebra os 50 anos com série de palestras gratuitas.O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo, em parceria com  a empresa Goodyear Brasil, promovem o

UIA2020RIO: Roberto Simon

Com o tema Todos os Mundos. Um só mundo. Uo maior e mais importante de arquitetura, o Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos chega a sua 27ª edição. O evento, que será realizado no Rio de Janeiro, em 2020,

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta