Affonso Eduardo Reidy

Affonso Eduardo Reidy

Affonso Eduardo Reidy nasceu em Paris, em 1909, mas fez sua carreira no Rio de Janeiro, onde faleceu, em 1964. Antes mesmo de formar-se na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), em 1930, foi estagiário do urbanista francês Donat Alfred Agache (1875-1934), responsável pela elaboração do Plano Diretor da cidade. Reidy tornou-se professor logo após concluir o curso e em 1931, venceu, com Gerson Pompeu Pinheiro (1910-1978), o concurso para a construção do Albergue da Boa Vontade, seu primeiro projeto construído, e uma das obras pioneiras do modernismo no Rio de Janeiro.

Boa parte de sua produção foi na condição de arquiteto da Prefeitura do Distrito Federal. Foi chefe da Secretaria Geral de Viação, Trabalho e Obras e diretor do Departamento de Habitação Popular e do Departamento de Urbanismo até aposentar-se depois de três décadas dedicadas ao funcionalismo e a bons projetos.

Em 1936, integrou a equipe liderada por Lúcio Costa que realiza o projeto do Ministério da Educação e Saúde, mais conhecido como Palácio Gustavo Capanema. Também coordenou o projeto de urbanização do Centro do Rio de Janeiro, base para o desenvolvimento do Aterro e Parque do Flamengo, 1964. No campo da habitação social criou os projetos dos conjuntos Habitacional Pedregulho, 1946 que lhe valeu o primeiro prêmio na Bienal Internacional de São Paulo.
Mas seu projeto mais festejado é o do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ), 1953, a primeira obra em concreto aparente no país.


Artigos relacionados

Veja aqui todos os episódios da 2ª temporada da série Arquiteturas, do SescTV

Série aborda obras e processos de ocupação de destaque em vários locais do país

Lucio Costa: “Registros de uma vivência”

A obra autobiográfica, que apresenta a trajetória profissional e o pensamento de um dos maiores arquitetos e urbanistas brasileiros, será relançada pela Editora 34. O lançamento acontecerá no dia 7 de novembro, às 19h, na livraria da Travessa de Ipanema,

Chamas na USP por José Armênio de Brito Cruz

O incêndio na FAU não é só fruto do descaso. A tentativa de destruição de um pensamento comprometido com o progresso aflora mais uma vez.

Um comentário

Escreva um comentário
  1. Walter Gustavo Linzmayer
    Walter Gustavo Linzmayer 14 setembro, 2014, 02:39

    Mestre da arquitetura e urbanismo brasileiros!

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: