A escala do homem, por Alberto Botti

A escala do homem, por Alberto Botti


O arquiteto Alberto Botti, do escritório Botti e Rubin, acha que exemplos como Dubai e sua arquitetura monumental  desprezam a escala do homem. Botti reconhece que uma catedral gótica pode ser monumental, mas teme que a modernidade esteja apequenando os homens diante de obras de arquitetura. Ele concedeu entrevista a Paulo Markun, para o portal Arquitetura e Urbanismo Para Todos do CAU/BR.

Temas:
00:00 O que é arquitetura?
00:31 A escala do homem está se perdendo?
01:21 A escala do homem em São Paulo
02:35 A arquitetura no senso comum
03:49 O que caracteriza o bom projeto de arquitetura?
05:19 A relação entre arquitetura e urbanismo
06:06 O que faz uma boa cidade?
07:11 Veto ao projeto da Av. Paulista subterrânea
08:38 O que o cidadão comum ganha com a arquitetura?



Artigos relacionados

Roberto Moita: aspectos locais versus grandes aglomerados urbanos

O arquiteto Roberto Moita dá sua visão sobre a arquitetura e traça um panorama da profissão atualmente, seus novos desafios e possibilidades na sociedade brasileira.

Índio da Costa: as dificuldades da legislação induzem à mediocridade

Índio da Costa dá um exemplo de sua experiência sobre como um arquiteto pode aprender com seu cliente. Em caso de casas residenciais, o arquiteto funciona como um moderador de expectativas e buscador de soluções para essas ambições.

A primeira atividade humana, por Gustavo Penna

Um do mais importantes arquitetos mineiros, cuja obra faz parte do pós-modernismo brasileiro. Gustavo Penna teve muito convívio com a arquitetura modernista, mas tornou-se um crítico dela.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta