Anunciados os vencedores do concurso de restauração do Museu Paulista

Anunciados os vencedores do concurso de restauração do Museu Paulista

A Universidade de São Paulo anunciou no dia 18 de dezembro, os  vencedores do Concurso Nacional de Arquitetura para o Restauro e Modernização do Edifício – Monumento do Museu Paulista, no Ipiranga.

Anunciado no início de setembro de 2017, o concurso contou com um total de 13 trabalhos inscritos, no qual nove foram habilitados para participação. Como critérios de avaliação, foram considerados aspectos como racionalidade, funcionalidade e exequibilidade técnica; respeito às características materiais, estruturais, composição e documentais do edifício; criatividade, solução estética e inovação do projeto; atendimento às especificidades do uso e das soluções de circulação e acessibilidade; e adoção de critérios e soluções de projeto para a sustentabilidade ambiental.

A empresa Hereñu + Ferroni Arquiteto Ltda. ficou com o primeiro lugar. O projeto vencedor prevê um mirante no topo do edifício-monumento e a criação de uma área de exposição no subsolo. Além do contrato para o desenvolvimento do projeto, a equipe ganhou um prêmio de R$25 mil. Os outros dois grupos premiados foram: em segundo lugar, o escritório Pires Giovanetti Guardia Engenharia Arquitetura Ltda. e, em terceiro, Arquiteto Hector Vigliecca e Associados Ltda., que receberão R$ 15 mil e R$ 10 mil, respectivamente.   

O júri foi presidido pelo pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária da USP, Marcelo de Andrade Roméro, e formado pela diretora do Museu, Solange Ferraz de Lima; pela professora do MP, Maria Aparecida de Menezes Borrego; pela museóloga Vera Lúcia Bottrel Tostes; pelo professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), Angelo Bucci; pelo presidente do Ibram, Marcelo Mattos Araújo; pelo engenheiro João Appleton; e pelos arquitetos Marcos José Carrilho (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan), Walter Luiz Fragoni (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico – Condephaat), Mariana de Souza Rolim (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo – Conpresp) e Sabrina Studart Fontenele Costa (IAB).

O vencedor terá o prazo de 12 meses, a partir da assinatura do contrato, para a elaboração do projeto executivo, com um custo de R$ 5,6 milhões. Depois de finalizado, a USP poderá efetuar a licitação das obras, previstas para ter início em 2019. O plano é que o espaço seja reaberto em 2022, nas celebrações do Bicentenário da Independência. O Museu do Ipiranga foi fechado à visitação pública em 2013 e, desde então, o prédio vem passando por uma série de intervenções estruturais.

 



Artigos relacionados

Seminário Internacional debate a valorização das mulheres arquitetas e urbanistas

Nos dias 09 e 10 de março, o CAU/SP realizará o Seminário Internacional: O Perfil e a Valorização das Mulheres na Arquitetura, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) do Mackenzie, em São Paulo. O evento é promovido pela Comissão

Jaime Lerner é eleito 2º urbanista mais influente da história

Jaime Lerner foi eleito pela revista Planetizen o segundo urbanista mais importante do mundo. O curitibano é o único brasileiro a figurar na lista dos 100 urbanistas mais influentes de todos os tempos elaborada pela publicação dos EUA. Hoje com 80

Ribeirão Preto faz convênio para restaurar museus em risco

A Prefeitura de Ribeirão Preto assinou convênio com o Centro Universitário Moura Lacerda para um projeto de intervenção e recuperação do Museu Histórico e do Museu do Café, situados no câmpus local da Universidade de São Paulo (USP). Os museus

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta