Arquiteturas: Minhocão

Arquiteturas: Minhocão

O Minhocão foi construído como uma solução de via expressa entre a Zona Leste e Oeste antes da construção da Marginal Tietê. Sua construção foi controversa desde o início, uma via expressa imposta em um bairro residencial pelo governo no contexto da ditadura militar.

Entretanto, com o passar das décadas, alternativas de trânsito e mobilidade surgiram e, associados com o aumento das liberdades, reascendeu-se a contestação à necessidade de se manter o elevado frente aos transtornos que ele causa. Devido ao barulho, ele foi bloqueado durante à noite. Mas isso gerou uma ocupação espontânea da população nesses horários, principalmente skatistas. Bloqueado aos carros também aos domingos, a ocupação de lazer somente aumentou.

Atualmente três grupos se articulam para definir o futuro do Minhocão e duas propostas se polarizam: parque ou demolição. Fato é que o Novo Plano Diretor prevê a desativação do Minhocão para a função de via expressa.

Assista aqui no Arquitetura para Todos o episódio sobre o Minhocão, na íntegra:



Artigos relacionados

Attílio Corrêa Lima

Nascido em Roma, em 1901, Atttílio Corrêa Lima ingressou como aluno livre nos cursos de escultura, pintura, gravura e arquitetura da Escola Nacional de Belas Artes (Enba), no Rio de Janeiro, aos 18 anos. No ano seguinte, matricula-se como aluno

Governo do DF ignora veto do Iphan e mantém projeto do viaduto

Instituto afirma que proposta do Executivo fere tombamento de Brasília; Governo defende que alteração é para garantir a segurança O governo do Distrito Federal garantiu que pretende manter o projeto de revitalização do viaduto da Galeria dos Estados, mesmo sem

No aniversário de Oscar Niemeyer, auditório do Memorial é reaberto

Passou-se quatro anos desde que o auditório Simon Bolivar, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, foi atingindo por um incêndio que destruiu boa parte de sua estrutura e diversas obras de arte que compunham o espaço. Agora, 15 de dezembro de

Um comentário

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta