As multi-facetas do apartamento de Guto Requena

As multi-facetas do apartamento de Guto Requena

Na Ilha Paulista, um quarteirão entre a Av. Paulista e a Av. Consolação (São Paulo), o arquiteto Guto Requena encontrou um velho apartamento para reformar. No projeto, aplicou seus estudos de interatividade tecnológica no morar. Uma casa móvel, onde os espaços mudam de função conforme as necessidades do usuário.

A série Habitar/Habitat do SescTV foi produzida por Revanche Produções e Miração Filmes e dirigidos por Paulo Markun e Sérgio Roizenblit.


Artigos relacionados

Debaixo da marquise do Ibirapuera

A Marquise do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, Brasil é uma cobertura que liga diversos edifícios, abrigando também o Museu de Arte Moderna (MAM), restaurantes e serviços. Todos os dias, skatistas, ciclistas, atletas, famílias e solitários se reúnem de

Julia Boaro, morador do Copan

O web-designer Julio Boaro escolheu morar num kitnet do Edificio Copan. Com mais de mil apartamentos, distribuídos por 32 andares, o prédio ícone da arquitetura paulistana possui uma galeria comercial em seu térreo, que para Julio funciona como a praça onde

João Batista Vilanova Artigas

Vilanova Artigas foi um expoente da chamada Escola Paulista de arquitetura moderna. Ele lecionou e reformulou o curso de arquitetura da da FAU – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, prédio que ele mesmo projetou, transformando a própria estrutura do espaço acadêmico em uma aula de arquitetura.

3 comentários

Escreva um comentário
  1. Diogenes Piassini
    Diogenes Piassini 23 setembro, 2014, 23:12

    Guto Raquena é o cara, um arquiteto admirável por ser multifacetado e super ligado no futuro. Sinto orgulho da minha profissão quando vejo profissionais desse gabarito.

    Responda este comentário
  2. WILSON
    WILSON 24 setembro, 2014, 09:32

    Com compartimentação burguesa, hahahaha
    Essa foi demais.

    Responda este comentário
  3. Camila
    Camila 27 setembro, 2014, 12:47

    Achei muito coerente o pensamento de projeto do Guto. Não podemos mais encarar o tal processo criativo sem considerar as diversas mutações comportamentais e culturais da sociedade contemporânea “conectada e dinâmica”: a tecnologia está cada vez mais presente em nosso cotidiano e algo cuja ausência é quase inviável.

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: