Attílio Corrêa Lima

Attílio Corrêa Lima

Nascido em Roma, em 1901, Atttílio Corrêa Lima ingressou como aluno livre nos cursos de escultura, pintura, gravura e arquitetura da Escola Nacional de Belas Artes (Enba), no Rio de Janeiro, aos 18 anos. No ano seguinte, matricula-se como aluno regular do curso de Arquitetura, diplomando-se em 1925. Ganhou a medalha de ouro e o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Belas Artes (SNBA) de 1926, e foi para Paris no início de 1927. Nesse mesmo ano ingressou no Instituto de Urbanismo da Universidade de Paris, formando-se em 1930. De volta ao Rio de Janeiro, em 1931, assume a direção da cadeira de urbanismo, criada na modernização do ensino da Enba, no ano anterior.
Dois anos mais tarde, foi convidado pelo interventor federal de Goiás, Pedro Ludovico Teixeira, para fazer o Plano Urbanístico da Nova Capital do Estado, Goiânia. Mas não concluiu o trabalho: em 1935, abandonou o plano, quando concluiu que a empreiteira responsável, estava comprometida com interesses especulativos.
Além do projeto de Goiânia, Attílio desenvolveu no Rio de Janeiro o Plano Regional de Urbanização do Vale do Paraíba, o Plano da Cidade Operária de Volta Redonda, em 1941 e o Plano da Cidade Operária da Fábrica Nacional de Motores, em 1943, inacabado por sua morte prematura em 1941. Em São Paulo, fez os projetos para os conjuntos residenciais da Várzea do Carmo e de Heliópolis.


Artigos relacionados

Entrevista: Clóvis Ilgenfritz, pioneiro na Arquitetura de Habitação Social no Brasil

Clóvis Ilgenfritz da Silva é arquiteto e urbanista nascido em Ijuí, uma das mais populosas cidades da região noroeste do Rio Grande do Sul. Formado em 1965 pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Clóvis dedicou sua vida

Palácio Joaquim Nabuco fecha suas portas para se tornar museu

O prédio, localizado na Rua da Aurora, na área central do Recife, sedia a Assembleia Legislativa do Estado (Alepe) há 142 anos. A proposta é transformar o espaço no Museu Legislativo do Estado. Ele será fechado a partir de terça-feira

André Corrêa do Lago é o primeiro brasileiro a integrar o júri do Pritzker

Esta é a primeira vez que um brasileiro é convidado a fazer parte da equipe de júri do Pritzker, considerado o Nobel da Arquitetura. A decisão foi anunciada no sábado, 20 de maio, durante a entrega do prêmio aos integrantes

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta