Brasil: Vencedores do concurso Expo Dubai 2020

Foi divulgado hoje, 12 de novembro, o resultado do concurso para o Pavilhão Brasileiro na EXPO 2020. O objetivo do concurso era a seleção de proposta e posterior contratação do Projeto Executivo completo (Projeto de Arquitetura, Projetos Complementares e Projeto de Expografia), serviços de Fiscalização da Obra, Consultoria e serviços correlatos para o Pavilhão do Brasil na Exposição mundial. O concurso foi promovido pela Apex Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e contou com a organização do Instituto de Arquitetos do Brasil Departamento do Distrito Federal – IAB/DF.

Segundo o edital do concurso, “o Pavilhão do Brasil deveria destacar a diversidade com o tema TOGETHER FOR DIVERSITY, dividido em natureza, pessoas e o amanhã (Together for Nature, Together for People e Together for Tomorrow). Esses são os pontos de partida para que os arquitetos mostrem a diversidade de fauna e flora, a multiplicidade étnica, criativa, cultural de nosso povo e ainda apresentem o Brasil como um país agregador, além de ator de relevância global nas questões internacionais relacionadas à sustentabilidade. A palavra-chave que resume o tema brasileiro é a sociobiodiversidade brasileira – e o Pavilhão do Brasil, desde a sua concepção, deve refletir essa característica tão única do país.”

Sob o tema Connecting Minds, Creating the Future, a Expo Dubai abordará a Oportunidade, a Mobilidade e a Sustentabilidade. O Pavilhão do Brasil estará nesta última parte, com foco em discussões que reafirmaram a importância da biodiversidade, da cultura da preservação do meio ambiente, da competitividade baseada na sustentabilidade e no retrato da multiculturalidade brasileira.

A Comissão Julgadora foi composta por Fernando Viegas, Maria Luiza Fragoso, Thiago Andrade, Fernando Diez e Inês Lobo, com Emilia Stenzel e Andrey Rosenthal Schlee como suplentes

 

1º lugar

Autores: José Paulo Gouvêa, Marta Moreira, Martin Benavidez, Milton Braga

Colaboradores: Emilia Darricades, Raphael Carneiro, Seizen Uehara, Tomás Quaglia Martínez, Victor Oliveira, Ana Carolina Isaía, Mateo Arjona, Malcolm Dixon, Dion Collier, Raquel Morais, Miguel Maratá, Gabriela Trevizan

Curadoria: Guilherme Wisnik e Alexandre Benoit

 

2º lugar

Autores: Fabiano José Arcadio Sobreira

Colaboradores: Filipe de Abreu Bresciani, Luana Alves, Paulo Henrique de Oliveira e Gabriela Figueiredo

Expografia: Paulo Victor Borges Ribeiro

 

3º lugar

Autores: 0e1 + Masa, Martin Pronczuk e Santiago Saettone

Colaboradores: Jeronimo Berrutti, Lucia Echavarria e Julian Martinez

Expografia: Gabriel Lima Giambastiani

Cenografia: Ana Cristina Castagna

Museografia: Mathias Pereira Sant’anna

Curadoria: Mario Guidoux Gonzaga

 

A matéria completa você confere na página do Archdaily



Artigos relacionados

Avenida Paulista é considerada pólo cultural em são Paulo

Ao longos dos 126 anos de existência foram construídas casas, escritórios, lojas, parques, restaurantes, estações de metrô, ciclovias, centros de serviço e comércio, etc. Hoje, a Avenida Paulista, localizada no centro da capital paulista, atingiu a categoria de polo cultural.

Anunciados os vencedores da Bienal de Veneza de 2018

As curadoras da Bienal de Veneza de 2018, Yvonne Farrell, e Shelley McNamara, da Grafton Architects, anunciaram as contribuições vencedoras para a 16ª Exposição Internacional de Arquitetura.  Entre os destaques está o português Eduardo Souto de Moura. O arquiteto venceu

Chamas na USP por José Armênio de Brito Cruz

O incêndio na FAU não é só fruto do descaso. A tentativa de destruição de um pensamento comprometido com o progresso aflora mais uma vez.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta