Carnaval: Arquitetura e Urbanismo será tema para enredo de 2020

A Unidos da Tijuca escolheu a Arquitetura e o Urbanismo como tema para o enredo de 2020; “projetou seu desfile para explorar o passado, entender o presente e arquitetar o futuro” daquela que é considerada a primeira Capital Mundial da Arquitetura – título concedido pela UNESCO e pela UIA (União Internacional dos Arquitetos).

Em 2020, o Rio de Janeiro será a sede de importantes eventos internacionais, como o 27º Congresso Mundial de Arquitetos e o Fórum Mundial de Cidades – que ocorrerá em julho-, além de exposições e concursos públicos. 

Em carta, a agremiação enaltece o trabalho dos arquitetos, que nos ajudam a compreender a nossa história por meio das inúmeras edificações – prédios, casas, conjuntos habitacionais, parques, praças, ruas, avenidas, templos, castelos, etc.  Das edificações da Antiguidade às cidades modernas, cada espaço ensina a cultura de seu tempo. 

“Mas muitos são os desafios. É preciso conservar o patrimônio cultural da humanidade, além de resolver os problemas gerados pelo crescimento injusto e desigual, que se agrava nos centros urbanos e afeta a existência de todo o planeta. Arquitetar a vida é assegurar o testemunho do passado, intervir no presente e traçar para o futuro uma cidade e um mundo sustentáveis, a que todos tenham direito…”

 

Para saber mais, acesse Unidos da Tijuca



Artigos relacionados

Arquitetura Social: CAU/BR e CAU/UF destacam projetos inovadores

Projetos de Habitação Social desenvolvidos por arquitetos e urbanistas estarão em destaque nos sites do CAU/BR e dos CAU/UF. Série especial de reportagens vai mostrar o trabalho de arquitetos e urbanistas que, superando orçamentos reduzidos e unificando diferentes opiniões, conseguiram

Câmara lança aplicativo do Novo Plano Diretor de São Paulo

Um aplicativo para o cidadão se informar sobre o Novo Plano Diretor de São Paulo

Hobin Hood Gardens começa a ser demolido

O projeto habitacional Robin Hood Gardens, localizado no leste de Londres, começou a ser demolido no final do mês de agosto. A obra, dos arquitetos Alison e Peter Smithson, concluída em 1972, era um marco da arquitetura brutalista do Reino

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta